O presidente da Argentina, Néstor Kirchner, defendeu nesta sexta-feira o fortalecimento de dois projetos ``centrais'' para a integração do Mercosul: a criação do Banco do Sul e a construção do chamado Gasoduto do Sul.

O Banco do Sul é uma idéia do presidente venezuelano, Hugo Chávez, que Kirchner classificou como ``instrumento indispensável para o financiamento de projetos para a região''.

A proposta de Chávez foi recebida com cautela pelo governo brasileiro, que prefere a utilização das instituições de financiamento já existentes, como o BNDES e a Corporação Andina de Fomento (CAF).

Sobre o gasoduto, projeto que integraria toda a região partindo da Venezuela e chegando até a Argentina, Kirchner disse ter visto ``com muita alegria'' o acordo entre o Brasil e Venezuela para acelerar os estudos sobre o primeiro trecho da obra que ligaria a cidade de Guiria a Recife.

``Que seja a grande obra de integração regional'', disse Kirchner, acrescentando que o desafio dos atuais chefes de governo do Mercosul é serem capazes de pensar estrategicamente e a longo prazo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]