i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Consulta no Serasa

Consulta de bom pagador agora está disponível para pessoas físicas

Agora qualquer um pode consultar se uma pessoa, física ou jurídica, têm alguma negativação em seu nome. Serviço, antes, só estava disponível para empresas constituídas

  • PorNaiady Piva
  • 23/04/2018 18:12
Consulta pode ser feita pela internet | Pixabay
Consulta pode ser feita pela internet| Foto: Pixabay

O serviço de consulta de “bom pagador” na base do Serasa Experian agora está disponível para pessoas físicas. Antes, apenas empresas com CNPJ formalizado tinham acesso ao serviço, que informa se há algum dado negativo em nome do sujeito ou empresa consultada. A disponibilidade do serviço também para pessoas físicas é fruto de uma parceria do Serasa com a Ágil Consulta.

A consulta é feita no e-commerce da Ágil (pelo site agilconsulta.com.br). Basta fazer um cadastro simples, informar o número do CPF ou CNPJ que deve ser consultado, e pagar uma taxa. O valor é de R$ 24,90 (CPF) e R$ 29,90 (CNPJ). A cobrança é unitária, por consulta avulsa. Não há nenhum tipo de plano ou cobrança recorrente.

São exibidas as informações cadastrais, como nome e razão social. E se há alguma negativação na base do Serasa. Se há algum protesto de cartório, cheque sem fundo ou dívidas no nome da pessoa empresa. Também é possível descobrir se uma pessoa tem empresa em seu nome; e, no caso de pessoas jurídicas, qual o quadro societário.

As informações são as mesmas exibidas pelo Serasa na consulta feita por empresas, como bancos e instituições financeiras. A diferença é que, antes, era preciso ter um CNPJ para contratar o serviço. Pela Ágil, basta fazer o cadastro com CPF.

Distribuidora autorizada

A Ágil Consulta é uma distribuidora autorizada do Serasa Experian, empresa privada que mantém uma base de dados com informações sobre pessoas físicas e jurídicas.

Na prática, a Ágil não tem acesso direto ao banco de dados (que é controlado pelo Serasa), mas pode comercializar o acesso a estas informações. A consultoria presta um serviço para empresas de setores como a construção civil, em que há muitas transações por cheque, depósito ou boleto. Casos em que não há crédito envolvido, e é preciso verificar de forma diário se o seu cliente é ou não um bom pagador, antes de firmar um negócio.

Em abril, a consultoria passou a oferecer também o serviço de análise para pessoas físicas. São disponíveis apenas os dados negativos. O cadastro positivo, também mantido pelo Serasa, está atualmente em discussão no Congresso  Nacional, que irá definir se as informações podem ou não ser tornadas públicas.

População negativada

O número de brasileiros negativados ultrapassou, em 2016, a marca de 60 milhões de pessoas. Montante que representa 41% da população com mais de 18 anos.

A expectativa da Ágil é de que o serviço de análise de crédito favoreça, em especial, profissionais como corretores, revendedores e representantes comerciais. Profissionais que não tem um CNPJ formalizado, mas fazem negócios a prazo.

A expectativa é de que o serviço favoreça quem faz negócios, mas não tem um CNPJ formalizado, como revendedores e representantes comerciais. E que, até hoje, dependiam da confiança e boa-fé na hora de receber um cheque ou negociar um pagamento a prazo.

"Um corretor de imóveis que vai receber um cheque de um cliente dele, por exemplo, vai poder consultar", exemplifica Bruno Santos, diretor comercial da Ágil. O IBGE estima que sete em cada 10 trabalhadores autônomos no Brasil estão na informalidade, e não possuem nenhum registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.