i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Empreendedorismo

Errando muito, dono de banquinha virou franqueado milionário de Adidas e Arezzo

  • PorAndrea Torrente, especial para a Gazeta do Povo
  • 21/10/2019 07:53
mauro nomura do grupo nomura
O empresário Mauro Nomura, 43, fundador do Grupo Nomura que conta com 26 lojas de roupa e calçados.| Foto: Divulgação.

Ao relembrar sua carreira, o empresário Mauro Nomura, 43, fundador do Grupo Nomura, percebe que durante muitos anos foi um explorador sem bússola. “Quando a gente não sabe onde quer chegar, qualquer caminho serve. Enquanto isso [a empresa] é uma Ferrari desgovernada”, afirmou em palestra em Balneário Camboriú, no começo deste mês, para empresários de franchising.

Os erros não impediram que ele construísse um pequeno império no varejo de roupas e calçados. O grupo, criado em 1998 em Florianópolis, conta hoje com 26 lojas das marcas Adidas, Arezzo, Schutz e Saltô, em três estados – Santa Catarina, São Paulo e Rio de Janeiro -, tem 550 funcionários e esse ano espera faturar R$ 170 milhões.

“O ponto de ruptura foi quando fomos convidados para comprar lojas próprias em São Paulo e Rio. Hoje somos dealer [revendedor autorizado] da Adidas oficial nessas duas praças”, explica em entrevista à Gazeta do Povo. São 18 lojas da marca esportiva responsáveis por 80% do faturamento do grupo. Mais três vão inaugurar em novembro.

Antes de o negócio se consolidar, o empresário demorou para encontrar seu caminho. Ainda nos anos 1990, abriu uma loja de revistas e revelação de fotos. No final da década virou franqueado da Arezzo: “Eu não tinha ideia nenhuma do que era vender sapato para mulher”, revela.

Falta de estratégia

A loja deu certo e empresário tentou expandir em vários setores: investiu em cosméticos, teve restaurante japonês e comercializou tinta para a construção civil. “Minha trajetória é uma constância de coisas diferentes, completamente sem foco, sem estratégia e sem objetivo”, revelou na mesma palestra.

O investimento no setor das tintas foi seu maior erro. “Perdi três a quatro vezes mais dinheiro do que um analista financeiro aceitaria, justamente para acreditar na minha capacidade de execução, de querer fazer o negócio virar”, admite. A sangria financeira lhe rendeu um aprendizado. “O que faria de diferente? Foco, objetivo” afirma. “Você não precisa nem ser tão bom, se focar numa coisa só”, explica.

Apesar dos tropeços, o core business garantiu um crescimento do grupo constante até 2017. Mas quando Nomura assumiu as lojas da Adidas em São Paulo e Rio, o faturamento decolou: passou de R$ 78 milhões para R$ 170 milhões em apenas dois anos. “Peguei uma onda certa”, admite. “Ninguém alcança um resultado bom sem 'timing'”, avalia, assegurando que o sucesso depende de uma alquimia entre trabalho, competência e uma pitada de sorte.

Para 2020, Nomura tem plano de abrir mais sete lojas e chegar a R$ 205 milhões de faturamento. Para 2021 ele cogita vender parte da sociedade para um fundo de investimento e comprar alguma rede no setor do varejo. Sapatos para empreender a caminhada não faltam.

2 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 2 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • J

    JP

    ± 0 minutos

    Parabéns! Existem os heróis empreendedores e aqueles que só querem passar num “concurso “ e estar “feito” para o resto da vida.....

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    marcelo bergerson

    ± 21 horas

    Parabéns pela bela história e resiliência! Empreender não é fácil, crescer exponencialmente então, num momento de economia "de lado", nem se fala. Tem meu respeito.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.