i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Direito à informação

McDonald´s é processado na China ao 'trocar' mandarim por inglês em suas lojas

Ação teria sido proposta por advogado, diz a imprensa chinesa. Ele reclama de a rede de fast food usar mais inglês do que chinês em suas lojas

  • PorReuters/G1/Globo.com
  • 30/07/2007 15:27

Um advogado chinês processou a rede de fast food McDonald´s por usar mais inglês do que chinês em suas receitas, violando seu direito à informação, segundo reportagens da mídia chinesa publicadas nos últimos dias.

O advogado, identificado apenas como Shan, decidiu entrar com a ação contra a maior cadeia de fast food do mundo depois que comeu no McDonald´s em Pequim em maio e junho.

"O McDonald´s oferece comida à China, mas não usa o idioma chinês, o que viola os direitos do consumidor de ter informação", disse Shan, segundo publicado pelo jornal "Pequim Youth Daily".

Shan pediu ao McDonald´s que se desculpasse em jornais e que desse uma compensação simbólica de 1 yuan, publicou o jornal. O caso começou na última quinta-feira.

O jornal citou o McDonald´s como tendo informado que não era justo acusar a empresa de não usar o chinês em seus anúncios se os menus estavam todos em chinês e todos os funcionários falavam chinês.

As receitas haviam sido traduzidas para chinês em julho, segundo o jornal.

Casos de choque quando "leste encontra oeste" têm sido divulgados na China desde que o país adotou reformas econômicas no final da década de 70.

No início deste mês, uma polêmica loja da Starbucks na Cidade proibida, o antigo palácio imperial no coração de Pequim, fechou as portas depois de enfrentar anos de oposição de tradicionalistas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.