• Carregando...

São Paulo – O mercado não tem dúvidas em relação à decisão do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) de reduzir mais uma vez os juros básicos da economia em sua última reunião do ano. A taxa Selic está em 13,75% anuais. Confirmadas as projeções do mercado, a taxa encerrará 2006 a 13,25%. O Copom – que é formado por diretores e pelo presidente do BC – se reúne entre hoje e quarta-feira para seu último encontro de 2006, quando definirá como a Selic fica até o começo de 2007.

E, com mais uma baixa, os juros básicos parecem que vão encontrando seu piso. Ao menos é o que mostra a última pesquisa semanal feita pelo Banco Central com cem instituições financeiras. A pesquisa mostrou que a previsão média dos bancos é a de que a taxa básica da economia estará em 12% anuais no fim do próximo ano. Assim, considerando a redução da Selic para 13,25%, só restará 1,25 ponto percentual para a taxa cair em todo 2007, segundo a previsão do mercado.

"O BC deve iniciar 2007 reduzindo o ritmo de cortes na Selic. Nas duas últimas atas, o Copom já se mostrou propício a reduzir a Selic em apenas 0,25 ponto’’, avalia o economista-chefe da Sul América Investimentos, Newton Rosa. Para o economista, a taxa deve terminar 2007 em torno de 12,5%’. "O quadro fiscal inspira cuidados ainda, especialmente no que diz respeito à redução de despesas." A primeira reunião do Copom de 2007 ocorrerá entre os dias 23 e 24 de janeiro.

Mais do que com a evolução da Selic, tanto governo quanto agentes econômicos estão é atentos aos juros reais – calculados levando-se em consideração a Selic descontando a projeção para a inflação nos 12 meses seguintes. O Brasil é o país que tem os maiores juros reais do mundo. Com a taxa atual eles estão em torno dos 9,3% anuais. Se a taxa Selic for reduzida para 13,25% anuais, como espera o mercado, os juros reais irão para cerca de 8,8%.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]