Enquanto fabricantes e remanufatoradores correm para cumprir a norma de retirada de pneus do meio ambiente, um pequeno empresário do bairro Atuba, que ganha a vida limpando caminhões com jato de granalha de aço, encontrou uma forma de fazer artesanato e dinheiro com o lixo dos veículos. Há dois anos Luiz Tavares constrói móveis e brinquedos com o material, invenção patenteada pelo Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI).

Gazeta do Povo — O que o levou a moldar pneus para fazer utensílios?Luiz Tavares — Percebi que o pneu é uma matéria-prima nobre que é jogada fora. Quis aproveitar o que já estava pronto.

Que outros materiais você usa?Metal e concreto. A idéia é substituir a madeira e limpar o meio ambiente. Também tento não usar muita energia.

O que vende melhor?As cadeiras e gangorras. Sempre vendo tudo o que consigo fazer nas horas vagas, mas ainda não comecei a divulgar o trabalho. É o cliente quem me acha.

E o preço?Se a pessoa comprar no local, uma cadeira sai por uns R$ 25, e se for para entregar cobro R$ 35. Vendo bem para pousadas, porque o aspecto é rústico e o material não estraga com sol e chuva. Dá para largar na chácara.

Quanto o senhor vende por mês?Nunca fiz essa conta, depende dos pedidos. Mas devo ter retirado 600 ou 700 pneus do ambiente.

***

Transporte para multis

Um investimento de R$ 10 milhões, feito nos últimos cinco anos pelo empresário Douber Cardoso, preparou a curitibana Trans-Iguaçu para atender ao mais concorrido e exigente segmento do transporte de carga rodoviária: o das multinacionais que operam no Brasil. A empresa completa 40 anos em 2007 com uma frota de 300 veículos e a meta é aumentar em 11% a movimentação contratada no ano passado, quando o faturamento foi de R$ 54 milhões.

***

A hora da micro

O professor Belmiro Valverde Jobim Castor lança em Curitiba, na próxima quinta-feira, o livro Tamanho não é documento: estratégias para a pequena e a micro empresa brasileira. Em linguagem bastante acessível e valendo-se de exemplos práticos, Belmiro — Phd em Administração Pública e consultor empresarial — ensina o pequeno empresário a pensar estrategicamente para superar entraves como a burocracia estatal, a concorrência e problemas de gestão.

Serviço: O livro pode ser adquirido pelo site www.belmirovalverde.com.br. A receita da venda será doada para a construção do Centro de Educação João Paulo II, em Piraquara.

***

Na rota da Abrasel

Os bares e restaurantes da Rota dos Tropeiros, circuito turístico dos Campos Gerais, vão ganhar impulso com o apoio da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes do Paraná (Abrasel-PR). O programa Qualidade na Mesa deve formar duas turmas nos municípios de Castro e Tibagi, para cerca de 40 estabelecimentos. A Abrasel-PR quer tornar o Paraná referência nacional em alimento saudável.

***

Distinção

O vice-presidente comercial da Nextel Brasil, o argentino Alejandro Raposo, foi condecorado com o International Business Award 2007 na categoria Melhor Executivo de Atendimento ao Cliente. O prêmio foi concedido a 98 executivos entre mais de mil indicações de 30 países. A Nextel Brasil tem a menor taxa de evasão de clientes da base e o maior índice de indicação de cliente para cliente no país.

***

E as sacolas?

O Ministério Público do Paraná resolveu perguntar aos supermercadistas que ações estão desenvolvendo para diminuir o passivo ambiental das sacolas plásticas. A participação das empresas na pesquisa dá uma noção do quanto elas se preocupam com o assunto: de 734 estabelecimentos, só 36% responderam ao questionário. Destes, metade adota ou diz que vai adotar as sacolas oxi-biodegradáveis, feitas com um aditivo que faz o plástico virar pó.

***

Pode devolver

O grupo Festval estuda a adoção de sacolas retornáveis, além da expansão do Caixa Ecológico, criado no ano passado, na loja do Barigüi. O caixa permite que o cliente descarte na hora da compra as embalagens recicláveis feitas de papel ou plástico, como caixas de pasta de dentes. Até 30 de agosto, foram deixadas nas lixeiras especiais 3.345 embalagens plásticas e 3.364 de papel.

***

Feijãozinho, aos 20 anos

Enquanto os modernos brinquedos da Mattel vivem a fase negra do recall e da proibição à importação, as empresas nacionais resgatam velhos personagens para o Dia da Criança e Natal deste ano. A Estrela ressuscitou o Feijãozinho, fora de linha há 20 anos. O bonequinho gordinho de pano com cabeça de borracha era um dos carros-chefe da marca. Quem nasceu nos anos 70 e início dos 80 deve lembrar: mais de 500 mil unidades foram vendidas na época.

***

Sabonete do bem

A Natura vai aproveitar a realização do Crystal Fashion, entre 15 e 20 de outubro, para falar sobre desenvolvimento sustentável. O lounge da maior fabricante de cosméticos do país vai contar a história da "rede do bem" que vem se formando com a produção dos sabonetes da linha Ekos, numa fábrica do Pará. É a quinta vez consecutiva que a Natura patrocina o evento. A meta da empresa é se tornar Carbono Neutro a partir deste ano.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]