i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Fraude

MP denuncia 16 pessoas no caso Cisco

Denúncias apontam crimes de importação fraudulenta e falsificação. Ex-presidente da Cisco no Brasil está entre os denunciados

  • PorG1/Globo.com
  • 15/11/2007 14:37

O Ministério Público Federal de São Paulo apresentou nesta quarta-feira (14) à noite à Justiça duas denúncias contra 16 pessoas investigadas no caso Cisco, pelos crimes de importação fraudulenta e falsificação. As denúncias são as primeiras resultantes de crimes cometidos por investigados pela Operação Persona, da Polícia Federal.

A operação investiga um esquema de sonegação fiscal que teria deixado de recolher R$ 1,5 bilhão em impostos. Segundo os procuradores Priscila Schreiner e Marcos José Gomes Corrêa, autores da denúncias, as operações de compra e venda realizadas no esquema que envolveria as empresas Cisco e Mude eram simuladas e tinham como objetivo ocultar a real importadora dos produtos, que era a Mude, principal distribuidora dos produtos da Cisco no Brasil.

Denúncias

A primeira denúncia atinge 11 integrantes do grupo Mude, entre eles o ex-presidente da Cisco no Brasil, Carlos Roberto Carnevali - que está preso preventivamente -, e outros dez sócios, diretores e funcionários do grupo Mude e da What´s Up (considerado o setor de importações da Mude), cinco deles também presos.

A segunda acusação foi proposta contra diretores e colaboradores do grupo K/E, que seriam responsáveis pelas empresas laranjas no Brasil; e contra o controlador do grupo S.A.O., que seria responsável pelo desembaraço aduaneiro dos produtos importados.

Ambas as denúncias relatam pelo menos 16 importações fraudulentas realizadas entre 2006 e 2007 e o uso, por 22 vezes, de notas fiscais falsas em operações de compra e venda. As operações fraudulentas do grupo, nos últimos anos, segundo o MPF, totalizaram US$ 370 milhões.

O G1 procurou a Cisco e a Mude para comentarem o assunto, mas não obteve retorno. Em outubro, a Cisco havia afirmado, em comunicado, que "seu planejamento fiscal inclui o respeito às leis, e às práticas tributárias e de importação".

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.