i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Crise econômica

Não há acordo após encontro de Bush e candidatos, mas negociação continua

Líderes da Casa Branca e Congresso negociam acordo para finalizar um plano de socorro de US$ 700 bilhões para o setor financeiro. McCain e Obama não se pronunciaram após o fim do encontro com Bush

  • PorAgência Estado
  • 25/09/2008 16:35
Obama e McCain ficaram sentados em extremidades opostas: ambos deixaram a Casa Branca por uma saída secundária | Jim Young / Reuters
Obama e McCain ficaram sentados em extremidades opostas: ambos deixaram a Casa Branca por uma saída secundária| Foto: Jim Young / Reuters

À medida que a desordem nos mercados financeiros ameaçava, nesta quinta-feira (25), o primeiro debate entre os candidatos na campanha presidencial americana, pareciam remotas as chances de que fosse alcançado ainda nesta quinta um acordo sobre o pacote de US$ 700 bilhões que a administração do presidente George W. Bush enviou ao Congresso, mesmo após a reunião entre o presidente, os candidatos Barack Obama (democrata), John McCain (Republicano) e os líderes dos dois partidos.

O senador republicano Richard Shelby (do Alabama) saiu da Casa Branca ao final do encontro e disse que não há acordo, mas as negociações continuam no Congresso.

"Eu não acredito que temos um acordo. Ainda existe muita divergência de opiniões", disse Shelby, que integra o comitê sobre o sistema bancário no Congresso.

Os líderes da Casa Branca e do Congresso dos EUA prometerem que vão continuar trabalhando juntos para finalizar um plano de socorro de US$ 700 bilhões para o setor financeiro, afirmou a porta-voz da Casa Branca Dana Perino. "Existe um claro senso de urgência e concordância sobre a necessidade de estabilizar os mercados financeiros e evitar que uma massiva crise financeira afete todos na América", disse Perino.

O comunicado foi emitido após o encontro entre Bush, líderes do Congresso de ambos os partidos e os candidatos à presidência Barack Obama e John McCain para discutir o plano.

Nem McCain e nem Obama falaram à imprensa logo após o encontro com Bush. Ambos deixaram a Casa Branca por uma saída secundária, fechada a jornalistas. Dois assessores, de qualquer maneira, apareceram e disseram que Obama fará um comunicado logo mais tarde, na noite desta quinta-feira (25), em um hotel em Washington. McCain voltou ao prédio do Congresso, o Capitólio.

McCain não informou se irá ao primeiro debate presidencial, ainda marcado para a noite desta sexta-feira (25), na Universidade do Mississippi. Até o final da tarde de hoje, o republicano mantinha a posição de não participar do debate com Obama.

Mais cedo nesta quinta-feira, congressistas de ambos os partidos disseram que um acordo preliminar havia sido fechado para o pacote.

Após duas horas de negociações no Congresso, o senador Chris Dodd (democrata) disse que "estamos muito confiantes que poderemos agir com rapidez". O acordo preliminar então fechado previa que o pacote seria liberado em parcelas, a primeira das quais seria de US$ 250 bilhões.

O presidente Bush voltou a alertar todos os participantes, antes do encontro, que existe risco sério de recessão se o acordo não for aprovado em breve.

"Vamos entrar em uma crise econômica séria no país se não aprovarmos uma legislação", disse Bush à imprensa antes do início do encontro na Casa Branca. "Sabemos que precisamos fazer algo o mais rápido possível", disse o presidente. "Minha esperança é que possamos alcançar um acordo muito em breve". As informações são da Associated Press e Dow Jones.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.