Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Economia
  3. Nova Economia
  4. Carlos Wizard e seus filhos querem formar um império bilionário no segmento de fast-food

negócios

Carlos Wizard e seus filhos querem formar um império bilionário no segmento de fast-food

Família trouxe a marca Taco Bell para o Brasil e comprou as operações da Pizza Hut e da KFC no país para dar origem a uma gigante do setor de alimentação

  • Jéssica Sant’Ana
Carlos Wizard Martins, ao meio, junto com seus filhos Charles (terno escuro) e Lincoln (terno claro). | Divulgação
Carlos Wizard Martins, ao meio, junto com seus filhos Charles (terno escuro) e Lincoln (terno claro). Divulgação
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Depois de ter vendido a escola de idiomas Wizard e outras redes de ensino por R$ 2 bilhões ao grupo britânico Pearson em 2013, a família Martins tem um novo alvo: formar um império bilionário no segmento de fast-food. O empresário paranaense Carlos Martins, mais conhecido como Carlos Wizard, e seus filhos gêmeos Charles e Lincoln trouxeram a marca de comida mexicana Taco Bell para o Brasil e compraram as operações da Pizza Hut e da KFC no país. Com isso, formaram com as três marcas um novo grupo de redes de fast-food, chamado MultiFoods, que já nasce com 245 lojas em funcionamento, contando as três bandeiras. O objetivo é chegar a 1,5 mil franquias e 170 lojas próprias até 2028 e formar, assim, uma gigante do setor capaz de ir à Bolsa ou ser vendida por bilhões de reais, como aconteceu com as redes de ensino cinco anos atrás.

O passo que faltava para a formação desse novo império foi dado no início deste ano, quando a família anunciou a compra das operações no Brasil da rede de pizzaria Piza Hut e do fast-food especializado em frango frito KFC. O valor do negócio não foi relevado, mas a família virou máster franqueada das marcas no país e cuidará de toda a gestão do negócio, incluindo relacionamento com os atuais franqueados e a expansão de ambas as marcas através da abertura de lojas próprias e de novas franquias. Eles também compraram 14 lojas próprias da KFC no Brasil. Antes, as marcas estavam sobre a gestão da Yum! Brands, uma das maiores administradoras de restaurantes do mundo.

A Pizza Hut e a KFC foram somadas a outro negócio que a família já tinha no país: o Taco Bell, fast-food de comida mexicana trazido ao Brasil em 2016 pelo trio. A bandeira também pertence à Yum! Brand e a família Martins ficou responsável, assim como no caso da Pizza Hut e da KFC, por toda a operação da rede no país, inclusive expansão através de lojas próprias e franquias. Em todos os casos, a operação é comandada 100% pelos Martins, que pagam à Yum! Brand uma taxa de royalties pelo direito a explorar a marca das empresas.

Nasce a MultiFoods

Com as três bandeiras em mãos, eles formaram em janeiro deste ano a holding MultiFoods para cuidar da administração e da expansão das redes. A holding é comandada por Lincoln Martins e tem Carlos Wizard e Charles Martins como conselheiros. O negócio já nasceu com 180 lojas da Pizza Hut, 18 da Taco Bell e 47 da KFC espalhadas por todas as regiões do país.

O objetivo é aumentar exponencialmente essa base nos próximos cinco a dez anos, principalmente através de franquias, formato predileto de Carlos Wizard na expansão de seus negócios. Eles querem abrir 1,5 mil franquias e 170 lojas próprias (que pertencem à família) das três bandeiras em até dez anos. Só para 2018 estão previstas a inauguração de 50 unidades da Pizza Hut, 35 da KFC e 30 do Taco Bell, entre lojas próprias e franquias. O investimento, só para a KFC e para a Pizza Hut, vai chegar a R$ 135 milhões nos próximos cinco anos.

Eles não descartam, ainda, a possibilidade de fazer novas aquisições. A ideia da família é ter lojas de fast-food com conceitos únicos, como acontece com a Taco Bell, uma das maiores redes de comida mexicana, a Pizza Hut, referência em pizza, e a KFC, especializada em frango frito. Mas, por enquanto, o foco está em terminar a transição da KFC e da Pizza Hut para a MultiFoods, ao mesmo tempo em que já começam a vender as franquias da marca e abrir lojas próprias. O investimento para ter uma loja KFC e/ou Taco Bell varia de R$ 1 milhão a R$ 2 milhões e da Pizza Hut, a partir de R$ 700 mil.

Foco na alimentação

A opção de voltar as atenções da família ao setor de alimentação se deu para aproveitar as oportunidades de um segmento resiliente à crise e com chances de crescimento impulsionado pela tendência de alimentação fora de casa. “Quando vendemos o Grupo Multi [holding que administrava as escolas de idioma Wizard, Yázigi e Skill e a rede profissionalizante Microlins], não podíamos podia entrar no ramo de educação. Então, fomos atrás de setores que estavam em crescimento e que são resilientes à crise. Um desses segmentos é o de alimentação, que tem um valor mais acessível ao público”, conta Lincoln Martins.

O primeiro negócio da família na área foi a Mundo Verde, loja especializada na venda de produtos saudáveis comprada em 2014. Mas, apesar de a rede ainda fazer parte do portfólio da família, através da holding Sforza, eles perceberam que para formar um império no segmento de alimentação era necessário entrar em mercados que atingissem a grande massa, como o caso do fast-food.

“Essa nova geração, os millennials, vivem em uma realidade onde querem tudo rápido, tudo prático. Eles são os que mais consomem fast food, pois não querem sentar, esperar um garçom vir anotar o prato. Você vê uma tendência muito grande da alimentação rápida e fora de casa nessa nova juventude. Outro fator é que a grande maiorias dos trabalhadores recebem vale de até R$ 25 ou R$ 30, no máximo. No fast-food, um combo está dentro dessa faixa de preço”, afirma Lincoln.

Ele acredita que, diante de uma recuperação econômica, da expertise da família com franquias e administração de empresas e das marcas fortes que estão no seu portfólio, vão conseguir transformar a MultiFoods em uma gigante da alimentação, assim como fez seu pai lá trás com o Grupo Multi. “Chegando a 1,5 mil franquias e 170 lojas próprias, teremos potencial para fazer lá na fazer um IPO [primeira oferta pública de ações] ou, se vier alguém com muito apetite e for vantajoso para ambas as partes, vender as operações. Mas é algo para os próximos cinco a dez anos”, diz Lincoln.

A fórmula para formar o novo império é a velha conhecida dos Martins/Wizard: atuar em público de massa, em segmento com possibilidade de expansão, crescer através da abertura de franquias, ter lojas próprias para testar formatos e novos produtos/serviços e adquirir nomes fortes do mercado que tenham sinergia com as marcas do portfólio. Foi assim que Carlos Wizard formou o Grupo Multi, vendido à Pearson por R$ 2 bilhões, e é assim que agora seus filhos querem, junto com o pai, repetir o feito na área de alimentação.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE