i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Energia limpa

Energia solar gerada por residências e comércios atinge marca histórica no Brasil

De acodo com a ABSOLAR, as usinas de micro e minigeração de energia distribuída a partir de sistemas solares fotovoltaicos já geram 250 MW de potência no Brasil

  • PorDa Redação
  • 15/05/2018 11:40
Painéis solares residenciais. | Creative Commons/Pixabay
Painéis solares residenciais.| Foto: Creative Commons/Pixabay

O Brasil atingiu uma nova marca histórica na microgeração e minigeração de energia elétrica a partir de sistemas solares fotovoltaicos. De acordo com mapeamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), o país alcançou 250 megawatts (MW) de potência, um aumento de 36,6% em relação a 2017.

As usinas de microgeração e minigeração distribuída se caracterizam pela instalação próxima ou no próprio local do consumo, como comércios, iluminação pública, pequenas indústrias e, principalmente, residências — onde estão os “prosumidores”, consumidores que também produz energia elétrica. Elas se diferenciam das de geração centralizada, grandes fazendas solares que distribuem energia em longas distâncias.

LEIA TAMBÉM:Geração “caseira” de energia solar dispara no Brasil

Ao todo, segundo a Absolar, o Brasil tem 27.803 sistemas de microgeração e minigeração distribuída conectados à rede, um crescimento de quase 70% em menos de um ano. A maioria, 77,4% deles, são sistemas de consumidores residenciais. Em segundo lugar aparecem as empresas dos setores de comércio e serviços, com 16%, seguidas dos consumidores rurais (3,2%), indústrias (2,4%), poder público (0,8%), serviços públicos (0,2%) e iluminação pública (0,03%).

No que fiz respeito à potência gerada, as primeiras posições do ranking se invertem: empresas de comércio e serviços geram 42,8% da potência instalada no Brasil e os consumidores domésticos, 39,1%.

O estado com a maior potência instalada é Minas Gerais, com 22,9%. Em seguida, aparecem Rio Grande do Sul (13,9%) e São Paulo (13,5%).

De acordo com Rodrigo Sauaia, presidente executivo da Absolar, três fatores têm impulsionado o crescimento da microgeração e minigeração distribuída solar fotovoltaica: 1) uma forte redução, de mais de 75%, no preço da energia solar fotovoltaica na última década; 2) o aumento do custo da energia elétrica para o consumidor, de cerca de 500% desde 2012; e 3) a consciência e responsabilidade socioambiental do consumidor, que, além de economizar no longo prazo, ao mesmo tempo ajuda na preservação do meio ambiente.

Em janeiro, o Brasil entrou para o seleto grupo dos países que geram mais de 1 GW de energia solar fotovoltaica — somando as usinas centralizadas às de microgeração e minigeração. São cerca de 30 em todo mundo. De acordo com o último relatório do setor da Agência Internacional de Energia (IAE, na sigla em inglês), referente a dados de 2016, os líderes são a China (78 GW), Japão (42,7 GW) e Alemanha (41,2 GW).

LEIA TAMBÉM:Grupo Muffato vai construir atacarejo com usina solar e eletroposto

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.