i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
negócios

J&F fecha venda da Alpargatas, dona da Havaianas, por R$ 3,5 bilhões

Grupo J&F comprou a Alpargatas com recursos 100% financiados pela Caixa e agora repassa o negócio à família Moreira Salles

  • PorDa Redação
  • 12/07/2017 19:30
 | PWPAULO WHITAKER
| Foto: PWPAULO WHITAKER

O grupo J&F, que pertence aos empresários Joesley e Wesley Batista, fechou a venda da Alpargatas - dona das marcas Havaianas, Osklen e Mizuno - para a família Moreira Salles por R$ 3,5 bilhões. A informação foi divulgada pelos jornais Valor Econômico e Estadão, de acordo com fontes a par do assunto. O contrato deve ser assinado ainda nesta quarta-feira (12).

A J&F comprou o controle acionário da Alpargatas por R$ 2,7 bilhões há 18 meses, com recursos 100% financiados pela Caixa Econômica Federal. Na época, quem detinha o controle acionário da dona das Havaianas era a construtora Camargo Correia.

Agora, com a crise política e econômica em que se envolveu recentemente, a J&F resolveu vender a sua participação (54,24% das ações) na Alpargatas para fazer caixa. O negócio teria sido fechado nesta quarta-feira, segundo os jornais Valor Econômico e Estadão, por R$ 3,5 bilhões.

O valor será pago pelo fundo Cambuhy, que pertence à família Moreira Salles. Segundo o Estadão, a Itaúsa, holding de investimentos do banco Itaú, também participou do negócio. Essa informação, porém, não foi confirmada pelo Valor Econômico. 

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.