145132

Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Economia
  3. Nova Economia
  4. Microsoft confirma fim do Windows Phone

gadget

Microsoft confirma fim do Windows Phone

Companhia teve dificuldades para expandir a quantidade de aplicativos e para encontrar novos usuários para a sua plataforma

  • Infomoney
Windows Phone Blue | Divulgação/Microsoft
Windows Phone Blue Divulgação/Microsoft
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Quase dez anos após ter anunciado o lançamento da plataforma Windows Phone para concorrer com o iPhone, da Apple, a Microsoft confirmou o fim do seu sistema operacional para celular. A companhia admite que a dificuldades em expandir a quantidade de aplicativos e de encontrar novos usuários fez com que, há meses, parasse de investir no sistema operacional e continuasse apenas prestando suporte. 

As declarações foram feitas por Joe Belfiore, vice-presidente corporativo da Microsoft, área responsável pela parte de sistemas operacionais da companhia. No último domingo (8), ele respondeu a uma séria de perguntas via Twitter e, quando questionado a respeito do Windows Phone, afirmou que não dará continuidade ao desenvolvimento da plataforma.

LEIA MAIS: Smartphones que viram computadores já existem, mas deixam a desejar

No último domingo (8), Joe Belfiore, vice-presidente corporativo da Microsoft, responsável pela área de sistemas da companhia, respondeu a uma série de perguntas via Twitter e, quando questionado a respeito do Windows Phone, afirmou que não dará continuidade ao desenvolvimento da plataforma. 

“É hora de deixar a plataforma Windows Mobile?”, perguntou um usuário. “Depende de quem você é. Muitas companhias ainda entregam aparelhos a seus funcionários e nós vamos dar suporte a eles”, respondeu o executivo. “Como usuário individual, troquei de plataforma pela diversidade de aplicativos. Nós vamos dar suporte para esses usuários também. Escolha o que é melhor para você”, concluiu. 

Outro usuário afirmou utilizar o sistema não como empresa, mas como individual, e questionou o seu posicionamento com relação a esses consumidores, ao qual ele respondeu: “Claro que vamos continuar a dar suporte à plataforma... correções de bugs, atualizações de segurança, etc. Mas desenvolver novos recursos não são o foco”. 

Ao fim, afirmou: “Nós tentamos fortemente incentivar desenvolvedores de aplicativos. Pagamos dinheiro, escrevemos apps para eles... mas o volume de usuários é muito baixo para a maior parte das companhias investir”. 


8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O jornalismo da Gazeta depende do seu apoio.    

Por apenas R$ 0,99 no 1º mês você tem
  • Acesso ilimitado
  • Notificações das principais notícias
  • Newsletter com os fatos e análises
  • O melhor time de colunistas do Brasil
  • Vídeos, infográficos e podcasts.
Já é assinante? Clique aqui.
>