i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Análise

Testamos o app do Felipe Neto, o segundo youtuber mais popular do Brasil

O youtuber Felipe Neto lançou seu próprio app para celulares em busca de independência do YouTube. Conferimos o que ele traz de legal

  • PorRodrigo Ghedin
  • 03/10/2017 15:18
Felipe Neto com o cabelo vermelho e camiseta de alguém enlameado | Felipe Neto/Instagram
Felipe Neto com o cabelo vermelho e camiseta de alguém enlameado| Foto: Felipe Neto/Instagram

Muito me fascina o universo do YouTube. Todo esse poder de alcançar e de engajar pessoas em torno de vídeos feitos em casa, com a câmera do celular, sem nenhuma produção! Isso é que é democratizar a comunicação. Felipe Neto foi um dos desbravadores desse novo mundo que nos deu pessoas tomando banho de Nutella e vídeos de “reações” forçadas de pessoas vendo outros vídeos bizarros. Hoje um dos mais proeminentes youtubers, ele lançou um app para celular e, segundo matéria da Veja, “declarou guerra” ao YouTube. 

Intrigado com essa movimentação bélica do segundo youtuber mais popular do Brasil e, mais ainda, pelo app, que já é um dos mais baixados do país, instalei ele num celular de testes para ver o que Felipe Neto preparou para nós. 

Problemas com o YouTube 

A rixa com o YouTube é relativamente recente, motivada por mudanças na política de anúncios da plataforma, o que tirou bastante relevância de canais que usam palavras de baixo calão ou conteúdo questionável — categorias em que o canal do Felipe Neto aparentemente se encaixa. 

Anunciantes cada vez mais atentos e preocupados com lugares inóspitos na internet, onde suas peças aparecem aleatoriamente em sistemas de anúncios programáticos, pressionaram o YouTube para dar um jeito nisso, afinal é só com mais tecnologia que problemas criados pela tecnologia anterior podem ser resolvidos. De qualquer forma, é compreensível: ninguém quer ver seu inocente anúncio de sabão em pó ao lado do vídeo de um neonazista maluco.

Embora a motivação do YouTube seja legítima, as ações derivadas dela respingaram em gente como Felipe Neto, que fez fama e fortuna impulsionada pelo algoritmo indecifrável de recomendação de vídeos e pelo programa de divisão de lucros da plataforma. Ele não parece se encaixar muito bem nessa nova visão mais “family-friendly” do YouTube. Assim, em vez de parar de dizer “p***a” e “filho da p**a” em seus vídeos, Felipe Neto achou que seria melhor negócio lançar o seu próprio app. 

Eu sei onde você mora 

Tela do app Felipe Neto OficialFelipe Neto Oficial/Reprodução

Em parceria com a Fanhero, um estúdio que faz apps para times de futebol, jogadores de basquete e estúdios de entretenimento, o app Felipe Neto foi lançado para Android e iOS. 

Ele tem 45 MB no Android e se chama “Felipe Neto Oficial”. O “Oficial” me pareceu exagero, já que, numa pesquisa rápida na loja de apps, não encontrei nenhum outro app “Felipe Neto” extraoficial. 

Eu gosto muito dos surtos de sinceridade ingênua que algumas pessoas da indústria têm vez ou outra. Ali pelo final da matéria da Veja, João Pedro Paes Leme, ex-produtor da Globo que largou a TV para embarcar nessa aventura digital com Felipe Neto, diz o seguinte: 

“Agora, vamos conhecer o público do Felipe de verdade. Teremos a chance de saber, por exemplo, até a rua em que o internauta mora.” 

Ótimo, agora o Felipe Neto saberá onde eu moro. 

Por que alguém iria querer isso? A política de privacidade do app, aquela que ninguém lê antes de se cadastrar nas coisas, atesta que a Fanhero e o Felipe Neto podem receber e armazenar essa e outras muitas informações minhas.

Eles podem saber, por exemplo, do que eu gosto, os dados do meu cartão de crédito e meu telefone. Eles podem compartilhar esses dados com terceiros e se eximem de responsabilidades pelo que esses terceiros fazem com os meus dados. “A sua informação pessoal pode ser considerada um ativo da empresa no caso de venda, fusão ou falência”, diz o texto. É uma das políticas de privacidade mais invasivas e, o que é mais chocante, uma das mais legíveis com que já me deparei. Assustador, mas obrigado pela sinceridade, Felipe Neto. 

Não fiquei muito animado em baixar o app, e não apenas pela devassa prometida à minha privacidade. Talvez o desinteresse venha de antes e se explique por eu não ser um dos 14 milhões de seguidores do Felipe Neto no YouTube. 

Quando ele lançou seu canal, uns anos atrás, até vi alguns vídeos. Sempre de óculos escuros e indignadaço, ele gritava enlouquecidamente com a câmera. Felipe Neto falava mal de fãs do filme Crepúsculo, de fãs do Fiuk e de fãs de outros produtos de cultura pop. Era um compilado de tendências jovens com fãs chatos de que Felipe desgostava. O filme/ator/cantor que entrasse em sua mira era criticado sem perdão. Assim, ele fez fama. 

Temos que reconhecer que “Não faz sentido” é um nome de canal cirurgicamente preciso para tudo o que veio depois da sua criação. 

O que tem no app Felipe Neto Oficial 

Telas iniciais do appFelipe Neto Oficial/Reprodução

Ao abrir o app Felipe Neto Oficial (AndroidiOS) e entrar na área de textos assinados por Felipe Neto, tive uma surpresa ao me deparar com a publicação “Obrigado por me fazerem entender algo tão importante…”. O que será que comoveu tanto o nosso youtuber? Isto: 

“Eu sempre critiquei aqueles que dizem amar seus fãs. Nunca entendi esse sentimento que me soava falso e oportunista. Até ontem.” 

“É real. É de verdade”, ele reforça ao falar do amor que sentiu dos fãs. 

Que conveniente. 

Antes, nas telas que surgem após a primeira abertura do app, Felipe Neto diz que é possível falar com ele. “Isso mesmo que você leu!”, seguido da promessa de que, com o app, o fã “tem um contato direto comigo!”, como se o próprio Felipe Neto fosse responder um whats teu do nada, numa sexta à noite em que você não conseguiu marcar rolê com ninguém e ficou em casa vendo filme na Netflix (ou os vídeos do Felipe Neto, vá saber). Em outra, diz (ameaça?): “fique colado em mim”, o que me deixou ainda mais preocupado com aquele lance de ele saber onde eu moro. 

E tem a famigerada tela que antecede o pedido para liberar notificações e a geolocalização do celular para o app, para “eventos especiais e promoções na sua área”. E para descobrir o meu endereço e depois espalhá-lo para anunciantes e sabe-se lá quem mais. 

O app em si tem quatro telas: um feed principal, com vídeos, fotos e textos do dia a dia do Felipe Neto; áreas filtradas para esses tipos de conteúdo; uma parte dedicada a “lives”, os vídeos ao vivo; e atalhos para as redes sociais do Felipe Neto, incluindo seu canal no YouTube. 

Além do texto em que reconhece o valor de fãs (agora que os tem), outro que li relata um dia de folga do Felipe Neto em que ele saiu para comprar roupas e ficou tão cansado que jurou que jamais ficará outro dia sem trabalhar. Boa, Felipão! 

As fotos são todas selfies com Felipe Neto fazendo expressões estranhas e com o cabelo pintado de cores diferentes. Os vídeos mostram Felipe Neto fazendo coisas esquisitas e/ou desinteressantes com pessoas que não sei quem são. 

Entre uma coisa e outra, aparece com frequência um cadeado escrito “CONTEÚDO EXCLUSIVO” que chama bastante a atenção. Chamou a minha, tanto que não resisti: cliquei no botão “Assinar”. Descobri que para curtir tudo que Felipe Neto faz de legal preciso pagar R$ 9,49 por mês. 

Com 500 mil downloads já contabilizados, o que colocou seu app à frente de grandes sucessos como Facebook e WhatsApp nos rankings de popularidade diários das lojas de apps, o desafio agora é converter uma parte considerável desses usuários em assinantes pagos. Desejo boa sorte ao Felipe Neto!

***

Atualização (19h): Por meio da sua assessoria de imprensa, Felipe Neto enviou à Gazeta do Povo um posicionamento acerca da matéria acima. Segue na íntegra:

"Ao contrário do jornalismo, o humor e o entretenimento têm apenas a intenção de divertir o público. Há muito de invenção, um pouco de vivência pessoal e a aquela dose clássica de ficção que atrai o público. É o que Felipe Neto faz há sete anos nas plataformas digitais, principalmente, no YouTube. Já o jornalismo é baseado na apuração dos fatos, na isenção do que é escrito, e na busca ética por ouvir a outra parte, sempre que for citada. A assessoria de Felipe Neto lamenta que nenhuma dessas premissas tenha sido respeitada. Seria uma possibilidade pedir a correção dos inúmeros equívocos do texto - que passam pela abordagem rasa das práticas de monetização do YouTube e chegam até a descrição errada de cargos e funções de pessoas citadas. Mas em pleno ano de 2017, preferimos que o público tire suas próprias conclusões baixando o aplicativo e compreendendo como ele funciona, lembrando que a informação, quando apurada corretamente, mostra a diferença entre os fatos e a especulação. E a democratização da informação permite que todos tenham acesso a ela."

Atualização (19h20): O texto original dizia, incorretamente, que o app "Felipe Neto Oficial" era mais popular que WhatsApp e Facebook. Na verdade, ele esteve à frente desse e de outros apps nos rankings diários de popularidade das lojas de apps, mas não é mais usado nem tem mais downloads ou usuários que os referidos. A matéria foi atualizada.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.