Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Elon Musk, da Tesla, deixou comitê econômico de Trump após abandono do acordo de Paris. | HECTOR GUERRERO/AFP
Elon Musk, da Tesla, deixou comitê econômico de Trump após abandono do acordo de Paris.| Foto: HECTOR GUERRERO/AFP

Apple, Amazon, Facebook e Google estão entre as centenas de empresas americanas que estão se juntando em um esforço para apoiar o acordo climático de Paris como parte de uma campanha pública anunciada na segunda-feira (5). O lançamento da iniciativa “Nós ainda estamos dentro” vem poucos dias depois de o presidente Donald Trump anunciar que os Estados Unidos se retirariam do acordo internacional, chocando grande parte do mundo e se distanciando de um grande número de executivos que apoiaram o acordo.

Os participantes da campanha, que também inclui centenas de investidores, universidades, funcionários locais e governos estaduais, comprometeram-se a apoiar o acordo de Paris e “buscar ambiciosos objetivos climáticos”, de acordo com uma carta aberta.

O grupo também criticou Trump, dizendo que sua decisão “prejudica a capacidade do mundo de evitar os efeitos mais perigosos e onerosos das mudanças climáticas”. Os líderes empresariais e os funcionários descreveram o movimento de Trump como “desalinhado com o que está acontecendo nos Estados Unidos”.

A campanha sobre o clima é o último exemplo de alguns das maiores empresas do Vale do Silício que se opõem às principais políticas da Trump. A proibição à entrada de estrangeiros e os litígios em curso em torno de suas ordens sobre imigração também provocaram uma ampla condenação pelo setor de tecnologia.

Depois que o presidente revelou na semana passada que pretende sair do acordo, vários executivos de alto nível disseram que acabariam com seus papéis de consultoria com Trump, em protesto. O presidente-executivo da Tesla e SpaceX, Elon Musk, e o presidente-executivo da Disney, Robert Iger, disseram na semana passada que não mais servirão no conselho consultivo econômico do presidente. Executivos do Facebook, Apple, Microsoft e Google também criticaram rapidamente a decisão de Trump após o anúncio.

Dezenas de estados disseram na semana passada que irão avançar com suas políticas climáticas e seu objetivo de reduzir as emissões de gases de efeito estufa em resposta ao movimento do presidente. O governador de Nova York, Andrew M. Cuomo, D, também revelou o maior investimento em energia renovável por qualquer estado, um plano de US$ 1,65 bilhão para apoiar a energia renovável e a eficiência energética.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]