Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Fachada de unidade do Walmart em Curitiba. | Aniele Nascimento/Gazeta do Povo
Fachada de unidade do Walmart em Curitiba.| Foto: Aniele Nascimento/Gazeta do Povo

O Walmart confirmou a venda, na manhã desta segunda-feira (4), de 80% da sua operação brasileira à Advent International, uma empresa de private equity — empresas que adquirem participações em outras empresas com o intuito de participarem ativamente da sua gestão. Os 20% restantes continuarão com o Walmart. O valor da transação não foi divulgado.

Em nota, o Walmart informou que registrará nos Estados Unidos (sua sede) uma perda líquida sem efeito em caixa de aproximadamente US$ 4,5 bilhões. Essa perda decorre do “reconhecimento de perdas acumuladas de conversão de moeda estrangeira” e, segundo a empresa, pode flutuar significativamente até a data do fechamento.

LEIA TAMBÉM:

O que deu errado com o Walmart no Brasil?

Walmart deve converter hipermercados em atacarejos

A Advent International atua no Brasil há 20 anos e já investiu em mais de 30 empresas brasileiras. Patrice Etlin, Managing Partner da Advent International, disse acreditar que o conhecimento do mercado local e a expertise em varejo serão úteis para ajudar o Walmart a “gerar resultados expressivos e alcançar novos patamares de sucesso no Brasil”. Para tanto, pretende “investir no negócio e trabalhar com a equipe da empresa para criar um ambiente mais ágil e moderno, a fim de acelerar o seu desenvolvimento e melhorar a experiência do consumidor”.

Rumores de uma venda expressiva da operação brasileira do Walmart à Advent International circulavam desde janeiro. O Walmart Brasil, que teve faturamento de R$ 28,2 bilhões em 2017, atualmente passa por um ambicioso plano de reestruturação de quatro anos e com investimentos de R$ 1,5 bilhão. Marcas regionais, como o Mercadorama, foram descontinuadas; em seu lugar, lojas com a bandeira Walmart Supermercado, com layout moderno e mais organizado, estão sendo implementadas.

Walmart e Advent International não divulgaram o valor do negócio e ele ainda depende de aprovação regulatória do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). A expectativa é que ele seja finalizado até o final de 2018.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]