i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Estradas

Novas empresas ofertam pedágio pré-pago no PR

Regulamentação do setor incentiva concorrência e reduz preço cobrado pelo serviço de passagem automática na cancela

  • PorDenise Paro , da sucursal
  • 25/08/2014 21:22
Hoje, um terço dos veículos que passam pelas praças de pedágio no Paraná utiliza o sistema de tarifa pré-paga | Daniel Castellano/ Gazeta do Povo
Hoje, um terço dos veículos que passam pelas praças de pedágio no Paraná utiliza o sistema de tarifa pré-paga| Foto: Daniel Castellano/ Gazeta do Povo

Tecnologia

A Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT), informou, via assessoria de imprensa, que a falta de especificação sobre a tecnologia empregada gerou a ausência de concorrência no setor. No entanto, mudanças no cenário nacional, incluindo o estabelecimento de normas para padronização, implementação e operação do sistema automático de arrecadação de pedágio nas rodovias concedidas no estado de São Paulo e o surgimento de novas administradoras, levou a ANTT a regulamentar o setor. A Resolução nº 4.281, de 17 de fevereiro de 2014, foi publicada no Diário Oficial da União de 19 de fevereiro de 2014 e entrou em vigor no dia 17 de maio.

Motoristas paranaenses que usam com frequência as rodovias pedagiadas do estado devem se beneficiar, em breve, da concorrência no setor de cobrança eletrônica de pedágio. Resolução da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura do Paraná (Agepar), publicada no Diário Oficial no último dia 4, regulamentou o serviço de pedágio pré-pago, permitindo a entrada de novas empresas e, consequentemente, a oferta de tarifas mais baixas.

A expectativa é que a concorrência aumente o número de usuários adeptos à comodidade da passagem automática. Hoje, 33% dos veículos que passam pelas praças paranaenses de pedágio usufruem do serviço, segundo a Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR).

A ConectCar, empresa criada pela Odebrecht Transport e pela Ipiranga, é uma das que se preparam para ampliar sua presença no Paraná. Hoje, ela opera apenas nas praças das concessionárias Ecocataratas e Ecovia, mas o serviço só pode ser usado por motoristas que adquiriram o chip (tag) pré-pago nos estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Pernambuco e Bahia.

O plano, segundo o superintendente da ConectCar, João Cumerlato, é oferecer o chip em todas as concessionárias do estado até o final de novembro. Para ele, a regulamentação do mercado vai beneficiar os usuários a partir da queda dos preços. "Vai haver uma redução drástica", prevê. A adesão custará R$ 20, uma redução de 72% em relação ao valor cobrado atualmente.

O chip poderá ser adquirido em qualquer posto da rede Ipiranga, com opções de recarga que variam de R$ 2 a R$ 15 e sem mensalidade.

Outras empresas que oferecem o serviço no Paraná são a Sem Parar, presente em todas as rodovias pedagiadas do estado, e a Auto Expresso, que oferece o serviço nas praças da Ecocataratas, Viapar, Ecovia e Econorte. O valor cobrado pela empresa Sem Parar é de R$ 73,16 na adesão e R$ 13,05 de mensalidade. O motorista pode usar o cartão em todo Brasil, quantas vezes quiser.

Fim do monopólio

A regulamentação do serviço no Paraná segue o exemplo do estado de São Paulo. Lá, o governo abriu o mercado em 2012, após 12 anos de monopólio no setor. Antes da regulamentação, apenas uma empresa oferecia o pagamento pré-pago no estado.

O diretor regional da ABCR, João Chiminazzo Neto, diz que a cobrança eletrônica é positiva porque gera conforto para quem usa as rodovias. Para ele, a adesão ao serviço deve crescer a partir da divulgação e dos benefícios oferecidos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.