i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Telefonia

Oi consegue aval para vender PT à francesa Altice

  • PorAgência O Globo
  • 22/01/2015 21:20

Ações sobem decisão

Com a decisão da assembleia da PT, os títulos da Oi negociados na Bolsa de Nova York dispararam 18,85%, a US$ 2,90. Na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), que fechou às 17 horas, as ações preferencias (PN, sem voto) subiram 19,82%, a R$ 6,77. As ordinárias (ON, com voto) avançaram 21,74%, a R$ 7,11, com a expectativa de confirmação da venda. Foram as maiores altas desde janeiro de 2014. Em nota, a Oi disse que o negócio gera mais valor aos acionistas. "A Oi se capitaliza com a operação", concordou João Rezende, presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

A Oi conseguiu, após muita polêmica, a aprovação da venda da operação portuguesa da Portugal Telecom (PT) para a francesa Altice por 7,4 bilhões de euros (cerca de R$ 22 bilhões). A decisão foi avalizada pelos acionistas da holding PT SGPS, antiga controladora da PT e atual acionista da Oi com 37% das ações, em assembleia realizada em Lisboa. A venda foi aprovada por 97% dos acionistas da operadora.

Agora, a companhia carioca já mira nos próximos passos: a consolidação com a TIM, segunda maior operadora de telefonia móvel do Brasil. Para Juarez Quadros, ex-ministro das Comunicações e sócio da Orion Consultores, se a venda da PT não fosse aprovada seria um "desastre" para a Oi, que acumulava dívida de R$ 47,7 bilhões no fim de setembro, último dado disponível. "Com essa venda, a Oi consegue equalizar a sua dívida, que é altíssima e vinha desgastando a companhia. Agora, vai trabalhar em uma solução para a consolidação do mercado de telefonia brasileiro", disse Quadros.

Para ele, o cenário mais rápido para a companhia hoje é fazer algum tipo de união com a TIM. "Só assim a Oi vai continuar como a maior concessionária do país. Há dúvidas se a viabilidade do fatiamento da TIM entre os concorrentes [como Claro e Vivo] é viável e sobre como os órgãos de controle analisariam o caso", destacou.

Fontes do setor, avaliam, porém, que Claro e Vivo não veem de forma favorável a união entre Oi e TIM, o que criaria a maior empresa de telefonia móvel do país e consolidaria a companhia como a segunda maior operadora de banda larga do país. Por isso, pretendem seguir na disputa por meio do banco BTG Pactual, que fará uma proposta para comprar a TIM e, em seguida, fatiá-la.

O imbróglio entre Oi e PT começou em 2014. Os portugueses, em segredo, compraram títulos da RioForte, do Grupo Espírito Santo. Os papéis venceram e não foram pagos, o que resultou em calote de quase R$ 3 bilhões.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.