Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Ivonaldo Alexandre/ Gazeta do Povo
| Foto: Ivonaldo Alexandre/ Gazeta do Povo

Quase uma semana depois de arrematar a concessão de uma linha de transmissão e uma subestação de energia no estado de São Paulo, a Copel enviou comunicado ao mercado para "esclarecer" seu desempenho no leilão da Aneel. Os lances da companhia, com deságios de mais de 35% em relação à receita máxima permitida, foram considerados "ousados" por analistas de mercado, e alguns duvidaram do retorno dos investimentos. Para construir a linha e a subestação, a Copel prevê investir R$ 270 milhões em dois anos. Depois, receberá cerca de R$ 23 milhões anuais por 30 anos.

Na nota, a Copel diz que "elaborou estudos minuciosos que proporcionaram alternativas às propostas originais dos projetos, e firmou uma série de pré-contratos bastante favoráveis com seus fornecedores com o intuito de reduzir os custos das obras, viabilizando assim suas ofertas em níveis competitivos". A empresa afirma também que os lotes arrematados são estratégicos, e que buscará, no Conselho Monetário Nacional, autorização para financiar as obras no BNDES, já que elas fazem parte do PAC.

Isae na ONU

A experiência do paranaense Isae, conveniado da Fundação Getúlio Vargas para várias cidades do Paraná, está na programação do 2.º Fórum Global para Educação Empresarial Responsável, organizado pelas Nações Unidas. O evento vai reunir, nesta semana, em Nova York, instituições de ensino do mundo todo empenhadas em debater as diretrizes da ONU para a gestão de escolas de negócios.

O superintendente do Isae/FGV, Norman Arruda Filho, vai falar sobre as iniciativas adotadas nos últimos três anos pela escola, como a inclusão de disciplinas sobre responsabilidade corporativa e ética na grade curricular dos cursos, a fim de formar executivos mais engajados nas demandas sociais e ambientais.

Chef no shopping

Está marcada para julho a inauguração do restaurante Babilônia do shopping Mueller, que vai funcionar no piso dos cinemas. A abertura da loja é parte das atrações que o centro comercial está preparando para as férias. Também já está confirmada a participação do chef Celso Freire, que vai dar "aulas" de gastronomia para as crianças.

Churrasquinho de gato com pedigree

A Espetíssimo – franquia de espetinhos prontos, com oito unidades no estado de São Paulo – está atrás de investidores para trazer a marca para o Paraná. O consumidor paranaense é considerado "especialmente importante" para as estratégias da empresa. O apelo da marca é o gosto dos brasileiros pelo petisco, agregando qualidade ao produto. Afinal, a rua – principal "canal de distribuição" do churrasquinho –, não inspira lá muita confiança no que diz respeito à procedência, armazenamento e preparo.

Regime de metas revisitado

Cinco economistas que contribuíram para a redação do livro Política Monetária, Bancos Centrais e Metas de Inflação vão falar sobre o tema em Curitiba, na quarta-feira. Fernando de Holanda Barbosa, professor da FGV, José Luiz Oreiro, da UnB, Lucas Desordi, do FAE Centro Universitário, Luciano D’Agostini, do Ibpex, e Luiz Fernando de Paula, da Uerj, participam de um debate com o presidente da Fiep, Rodrigo da Rocha Loures, sobre o regime monetário adotado pelo Brasil em 1999. O encontro será no Cietep, a partir das 14h30.

Campos Gerais a cabo

Com a integração com a operadora local BIGTV, a NET passará a operar nas cidades de Guarapuava e Ponta Grossa, com os serviços de tevê por assinatura, telefonia fixa e acesso á internet banda larga. A chegada ao interior do Paraná é parte da estratégia de expansão da operadora, que atua em 93 cidades e tem 3,8 milhões de clientes no país.

Para homens

Você já ouviu falar no dia Dia do Homem, assinalado no calendário brasileiro em 15 de julho? Pois O Boticário não só ouviu como encomendou campanha publi­citária à AlmapBBDO, que estreia hoje com jingle, anúncio e vinhe­ta para televisão, revistas e rádio. As peças lançam a fragrância Styletto Silver, uma edição limitada do clássico masculino que está completando 25 anos.

Ah! A homenagem foi criada há 10 anos pelo ex-presidente russo Mikhail Gorbachev e apoiada pela Organização das Nações Unidas, conta o material de divulgação do Boticário. Como não foi definida uma data, ela varia de país para país.

Entrevista

De porta em porta

Mestre em informática, professora universitária e apaixonada por maquiagem, Patrícia Garcia (foto) transformou um hobby em um negócio rentável, que soma à renda familiar até R$ 3 mil por mês. Ela é uma das 875 mil consultoras da Natura no Brasil, que fazem parte do crescente mercado de venda porta em porta e garantiram até uma data especial no calendário, comemorada hoje. Para se diferenciar entre outras tantas – ainda mais no concorrido mercado de cosméticos –, Patrícia oferece cursos de maquiagem, tem embalagens personalizadas e etiquetas com o endereço do próprio site (www.vendonatura.com.br). Hoje ela tem mais de 300 clientes ativas, com quem mantêm contato como nas "lojinhas do interior".

Como você se tornou consultora?

Entrei na Natura para comprar maquiagem pra mim. Mas tive um suporte tão bom que comecei a vender também. Você não tem um contrato assinado, mas há uma proximidade grande da empresa. Hoje eu vejo que a venda direta pode ser uma ótima oportunidade para quem está fora do mercado, ou por algum motivo não consegue uma oportunidade.

Você tem um site e embalagens personalizadas. O que mais você faz para se diferenciar?

Só em Curitiba são mais de 12 mil consultoras. E ainda tem a grande concorrência das outras marcas. Então, atendimento é fundamental. Tem gente que acha que vender é mostrar a revista e tirar pedido. Eu sou uma consultora mesmo, com noção dos produtos. Também tenho uma embalagem personalizada e uma etiqueta com o site. Assim, quem ganha de presente, por exemplo, sabe onde comprar.

Quem são as suas clientes?

São principalmente amigas, mas também empresárias e pessoas conhecidas. Esse tipo de trabalho é baseado em relacionamento. Acompanho as clientes como nas lojinhas do interior. Ligo para oferecer promoções de produtos que eu sei que elas usam e gostam.

Você pensa em ter uma loja?

Tenho um projeto sim, no qual os produtos da Natura seriam um complemento. E hoje já tenho um escritório onde dou os cursos de maquiagem e as pessoas podem conhecer todos os produtos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]