i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Vendas

Pacote da construção aquece setor

  • 10/03/2006 17:31

O Grupo Gerdau trabalha com um cenário de expansão de 5% a 6% no consumo brasileiro de aços longos neste ano – superior ao crescimento de 3,5% estimado para o Produto Interno Bruto (PIB). O vice-presidente de aços longos, Ricardo Gehrke, disse que o setor siderúrgico vai se beneficiar do aquecimento da construção civil, favorecida pelo pacote de incentivos à habitação anunciado recentemente pelo governo federal. Algumas das medidas são a isenção ou redução de alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para materiais de construção e a ampliação do volume de recursos destinados ao financiamento habitacional.

O presidente do grupo, Jorge Gerdau Johannpeter, afirmou que a companhia já percebe no movimento de pedidos um aquecimento expressivo nas vendas do setor. Ainda assim, ressalva que o crescimento se dá sobre uma base de comparação muito ruim. As vendas cresceram 17,9% em janeiro deste ano, na comparação com o mesmo mês de 2005, quando o mercado estava bastante deprimido.

Mesmo antecipando um ano mais favorável para o setor, Jorge Gerdau voltou a criticar a política tributária brasileira, que corrói a competitividade da produção nacional no mercado externo. "O Brasil tem uma estrutura fiscal obsoleta. Enquanto não tivermos o IVA (Imposto sobre Valor Agregado) único, qualquer outra coisa é paliativa." Gerdau lamentou também a taxa básica de juros, a Selic, que anteontem foi reduzida para 16,5% ao ano. "É outro fator limitante e, infelizmente, a descida dos juros é muito lenta". (MBV)

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.