i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Petróleo

Petroleiros querem mobilização contra leilão do pré-sal

Os petroleiros querem cancelar o leilão, apontando ilegalidades nas regras. Também defendem que a exploração da área gigante de Libra seja feita exclusivamente pela Petrobras

  • PorAgência Estado
  • 06/08/2013 15:03

Uma série de protestos marca os eventos de preparação para o primeiro leilão do pré-sal, previsto para daqui a dois meses. Petroleiros, sindicalistas e entidades de classe prometem intensificar o movimento e até aparecem em inserções comerciais em horário nobre. O próximo passo, dizem, será sensibilizar a população para que o tema chegue às ruas.

Os petroleiros querem cancelar o leilão, apontando ilegalidades nas regras. Também defendem que a exploração da área gigante de Libra seja feita exclusivamente pela Petrobras, sem parceria com empresas estrangeiras.

Mais cedo nesta terça-feira, manifestantes protestaram na porta da Escola Naval, onde ocorreu a audiência pública sobre o leilão marcado para outubro, quando será ofertada Libra, área com entre 8 bilhões a 12 bilhões de barris.

O diretor da Federação Única dos Trabalhadores (FUP) e membro do conselho de administração da Petrobras, José Maria Rangel, lembrou que a lei permite que a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) faça um contrato diretamente com a estatal na área do pré-sal, sem licitação. Ele conversou por telefone com o Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado.

Segundo ele, o governo está entregando uma área gigante de exploração a empresas estrangeiras com motivações de curto prazo. "Querem os R$ 15 bilhões de bônus de assinatura para fechar as contas. No longo prazo, o País perde uma riqueza."

A posição é compartilhada pelo presidente da Associação de Engenheiros da Petrobras (Aepet), Silvio Sinedino. "É preciso pensar nas próximas gerações. As regras têm uma série de ilegalidades, vamos tentar barrar o leilão", disse.

Fernando Siqueira, vice-presidente da Aepet, esteve presente à audiência pública e protestou ao microfone. Siqueira, filiado ao PPL, tem aparecido em comerciais defendendo que o leilão seja suspenso. "A política do governo é entregar o maior campo da história a um preço irrisório", disse no evento. "Está em jogo o futuro dos nossos filhos, o futuro do nosso País."

Helder Queiroz, diretor da ANP, disse que a agência está tranquila quanto à realização do leilão. Segundo ele, houve menos comentários para este leilão do pré-sal do que para a 11ª rodada pelo já estabelecido regime de concessão, o que mostra que há um equilíbrio nas opiniões. "É normal (haver manifestações), estamos atentos."

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.