Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Especialistas garantem que investir em uma pós-graduação traz uma série de benefícios para o estudante, principalmente se o curso for feito em uma universidade estrangeira de país de primeiro mundo. Apesar dos altos custos que isto representa – um mestrado na Inglaterra, dos mais baratos, não sai por menos de 6.500 libras, quase R$ 33,5 mil, além dos gastos com moradia, alimentação, transporte etc. – as vantagens atraem cada vez mais profissionais brasileiros todo ano.

Valquiria MacDowell, diretora da Improvement, empresa de Curitiba especializada em auxiliar na procura por cursos no exterior, diz que atualmente os brasileiros têm como principais destinos o Canadá, a Austrália e a Inglaterra. "Antigamente, a procura era maior pelos Estados Unidos, mas mudou-se a visão, principalmente depois dos ataques terroristas de 11 de setembro. As pessoas descobriram que outros países também têm cursos bons. A Nova Zelândia, por exemplo, tem professores excelentes e um nível bom de ensino, enquanto a Inglaterra tem universidades tradicionais e é um país moderno", explica.

Os preços dos cursos variam de país para país e também dependem do campo de conhecimento. Pós-graduações na área de saúde são tradicionalmente mais caras. Para MacDowell, o esforço vale a pena. "É claro que quem faz uma pós no exterior tem um diferencial no mercado, se destaca por ter estudado fora do país. A pessoa larga a vida aqui, enfrenta o desconhecido, precisa estudar a língua e economizar. Isso tudo a transforma em uma pessoa flexível que aceita mudanças. As empresas estão atrás de gente assim", define.

Confira a seguir um pequeno dossiê com os preços de cursos de pós nos principais destinos:

Austrália

Na Austrália, os cursos de pós-graduação custam entre 9 a 18 mil dólares australianos, ou seja, entre R$ 22 mil e R$ 43 mil. O governo australiano tem um site em português com informações sobre estudo no país. Uma das vantagens de se estudar lá é que pode-se pedir um visto para trabalhar, o que obviamente ajuda na hora de pagar as contas. Os cursos de pós na Austrália são divididos em certificado de graduado (6 meses), diploma de graduado (12 meses) – semelhantes às especializações do Brasil – e em mestrados (1 a 2 anos) e doutorados (normalmente 3 anos). Para ser aceito em uma universidade australiana, é preciso provar um nível suficiente de proficiência em inglês. As próprias instituições avaliam os conhecimentos dos alunos.

Estados Unidos

Nos Estados Unidos também é necessário mostrar fluência na língua inglesa. O sistema de ensino americano é bem diferente do brasileiro. Lá são considerados cursos de pós-graduação apenas mestrados e doutorados, que custam em média entre 15 e 20 mil dólares - o que dá em torno de R$ 40,5 mil a R$ 54 mil respectivamente, mas também existem cursos de curta duração (12 meses) voltados a programas práticos, técnicos ou profissionais, como MBAs, cursos de Direito, Educação Executiva etc.. No site educationusa.state.gov (em inglês, mas também com tradução para espanhol) é possível ficar por dentro de todas as exigências para se estudar nos Estados Unidos.

Canadá

O Canadá é o país do G-7 que mais gasta em educação, o que resulta em uma qualidade excelente na educação. O ano letivo nas universidades canadenses geralmente começa em setembro e vai até maio. Cada instituição tem seu próprio sistema de admissão. Como no país há duas línguas oficiais, o francês e o inglês, é possível estudar em um dos dois idiomas, mas é preciso provar fluência. Os cursos custam em média 8 mil dólares canadenses, o equivalente a R$ 18 mil, o que é relativamente mais barato se comparado a outros países. O custo de vida no país também é menor. Para ajudar ainda mais, é possível trabalhar no câmpus da instituição onde se estuda sem necessidade de um visto especial. No site www.studyincanada.com (em inglês, francês e espanhol), estão detalhadas todas essas informações e muitas outras para quem pretende estudar no Canadá.

Reino Unido

O Reino Unido tem uma das moedas mais valorizadas do mundo. Cada libra esterlina equivale a R$ 5,2. Um corte de cabelo, só para comparar, custa cerca de 10 libras, o que daria R$ 52! Além da enorme diferença de câmbio, os estudantes estrangeiros pagam praticamente o dobro do valor de um curso do que os estudantes da União Européia. Apesar disso tudo, o destino é um dos mais procurados por brasileiros. Segundo Valquiria MacDowell, diretora da Improvement, isso se deve ao fato de que na Inglaterra é possível fazer um mestrado em um ano, o que diminui os gastos com moradia, transporte etc.

No site www.britishcouncil.org (em português e inglês) há uma ferramenta de busca de cursos em todo o Reino Unido. Existem diversas modalidades de cursos de pós-graduação: Postgraduate Certificate (4 a 7 meses), Postgraduate Diploma (9 a 12 meses – esses dois são semelhantes a especializações no Brasil), Vocational Postgraduate (para prática profissional), Professional "Conversion"(conhecimentos básicos em outra área), Taught Masters (equivalente ao mestrado Stricto Sensu no Brasil), Staged Masters(Taught Masters em módulos), Research Masters (pesquisa), Doctor of Philosophy (Doutorado - PhD), e o New Route PhD (nova modalidade de doutorado).

São várias as exigências de admissão em uma universidade britânica, como cartas de recomendação, cópias de diplomas e certificado de conhecimento de inglês, geralmente uma nota maior de 6,5 no teste IELTS. Os cursos de pós-graduação no Reino Unido custam em média entre 6.500 a 13.500 libras, o que equivale a algo entre R$ 33,5 e R$ 70 mil. Estudantes podem pedir visto para trabalhar, mas é necessário já ter um emprego garantido antes de viajar.

França

Perto do Reino Unido existe uma opção mais em conta para estudantes estrangeiros. Na França, as universidades públicas cobram a mesma taxa dos estudantes independente da cidadania deles. Na verdade, o ingresso de alunos do exterior nas universidades é incentivado pelo governo francês. No sistema de ensino da França existem cursos voltados à prática profissional, cursos de graduação e cursos de pós-graduação. Existem também programas de ensino combinados com o aprendizado da língua francesa e inclusive cursos ensinados em inglês. No site www.cendotec.org.br (em português) é possível se informar melhor sobre a educação na França, enquanto que nos sites www.edufrance.fr/br (em francês, português e mais línguas) e www.egide.asso.fr (em francês e inglês) pode-se fazer uma busca dos diversos cursos existentes no país direcionados a estrangeiros. Nos estabelecimentos públicos, o custo varia entre 120 e 760 euros por ano, o equivalente a R$ 427 e R$ 2.700 respectivamente, enquanto que nos estabelecimentos privados, os cursos custam entre 3 mil a 6.800 euros, o que dá cerca de R$ 10.700 a R$ 24.200.

Espanha

Na Espanha a formação de pós-graduação não é oficial e cada universidade organiza e desenvolve seus próprios programas. Existem os cursos de mestrado, de especialização e de extensão, todos voltados à prática e com o objetivo de atualizar o profissional ou especializá-lo. Os custos variam bastante e ficam em média entre 1.500 a 18 mil euros, o equivalente a R$ 5.300 a R$ 64 mil. Nos sites www.educaweb.com/esp e www.infoformacion.com (os dois em espanhol) é possível pesquisar as diversas modalidades de cursos existentes na Espanha.

Holanda

Um destino que não vai à cabeça dos brasileiros comumente, mas que tem diversos cursos de pós-graduação, é a Holanda. Atualmente são cerca de 1.000 programas ensinados em inglês, o que ajuda muito, porque aprender holandês não deve ser coisa fácil. O sistema de educação superior do país é ensinado em dois tipos de instituição: as universidades de pesquisa e as universidades de educação profissional. Também há os cursos direcionados especificamente para estudantes estrangeiros. O preço dos cursos começa em 1.470 euros, o mesmo que R$ 5.244. Para saber o valor exato é necessário verificar com a universidade que oferece o curso escolhido. No site www.studyin.nl (em inglês) há uma base de dados com os cursos de pós-graduação e outros disponíveis na Holanda, além de informações práticas do que é necessário para estudar lá.

Outros

Mais informações sobre cursos de pós-graduação no exterior podem ser obtidas no site www.belta.org.br. A Belta é uma empresa que reúne instituições brasileiras que oferecem cursos, estágios e intercâmbio fora do Brasil.

Participe também do fórum sobre o assunto

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]