Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE

Referendo

Veja a opinião das lideranças paranaenses sobre o referendo

  • Gazeta do Povo Online
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Algumas das principais lideranças paranaenses votaram na manhã deste domingo no referendo das armas. O processo de votação teve início às 8 horas e continua até as 17 horas em todo o Brasil. Confira opinião sobre a votação das lideranças:

Roberto Requião

O governador do estado classificou a votação no referendo das armas de ridícula. “Este plesbiscito (sic!)é ridículo. Sou contra o porte de armas, mas acho tolice tirar o direito da pessoa de se defender”, afirmou o governador, ao chegar no Colégio Júlia Wanderley para votar, por volta das 12 horas deste domingo.

Abelardo Lupion

O deputado federal, uma das lideranças paranaenses contra a proibição do comércio de armas, também votou por volta das 12 horas, no Colégio Júlia Wanderley, em Curitiba. Ele declarou que está otimista e acredita que o “Não” vai ganhar no Paraná. "Acho que essa discussão promoveu um despertar na população, no aspecto da segurança pública, que vai ser bom no futuro”, comentou Lupion.

Beto Richa

O prefeito de Curitiba, chegou por volta das 11 horas no Colégio Estadual Amâncio Moro, no bairro Jardim Social. “Decidi meu voto em função da triste realidade que vivemos hoje, sem garantia de segurança para que cada um possa defender sua família ou seu patrimônio. Não podemos acreditar que proibindo o comércio de armas vai dimunir a criminalidade e o uso das armas”, comentou o prefeito.

Luciano Ducci

O vice-prefeito de Curitiba comentou que considera o referendo uma votação equivocada. “A população foi convocada para uma eleição equivocada pois não existe uma proposta de combate ao tráfico de armas, de política pública para levar segurança à população”, comentou Ducci, que votou no “Não” às 10h30 no prédio da Universidade Federal do Paraná (UFPR) no bairro Cabral, em Curitiba.

Álvaro Dias

A favor do referendo, mas contra o governo, o senador Álvaro Dias ressaltou a utilização de mecanismos como o Referendo e o Plebiscito.“Isso proporciona o exercício pleno do direito democrático. O Referendo possibilita à população a oportunidade de participar das decisões mais importantes da nação”. Ele votou ao meio-dia em Londrina.

Ratinho Junior

O deputado estadual Ratinho Junior (PPS), autor da lei do desarmamento no Paraná e coordenador da campanha do “Sim” no estado, votou às 10h30 no Colégio Tia Paula, localizado na Avenida Iguaçu, em Curitiba. "As muitas CPIs que estão acontecendo não permitiram a discussão ampla. As pessoas em geral acharam que o referendo foi uma medida do governo federal para desviar a atenção. Na verdade é um projeto de lei da Câmara Federal, proposto pelo meu partido, que é de oposição", afirmou o deputado.

Micheletti, Bernardo e Vargas

O prefeito Nedson Micheletti confirmou a sua opção pelo “Sim” no Colégio Leônidas Sobrinho. O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, e o presidente estadual do PT, André Vargas, também optaram pela proibição do comércio de armas e munições.

Álvaro Dias

A favor do referendo, mas contra o governo, o senador Álvaro Dias ressaltou a utilização de mecanismos como o Referendo e o Plebiscito.“Isso proporciona o exercício pleno do direito democrático. O Referendo possibilita à população a oportunidade de participar das decisões mais importantes da nação”. Ele votou ao meio-dia em Londrina.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE