Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Rogério Martins fez seu videocurrículo no fim do ano passado e já foi chamado para três entrevistas |
Rogério Martins fez seu videocurrículo no fim do ano passado e já foi chamado para três entrevistas| Foto:

No estúdio

Fique atento a alguns detalhes para fazer um bom videocurrículo:

- Apresentação – deve ser objetiva, com duração máxima de 1 minuto e meio. Cuide da linguagem, que deve ser clara, correta e adequada. Vale a pena fazer um roteiro, deixando claro os interesses profissionais, formação e experiência.

- Cenário – escolha um local sóbrio, organizado, bem iluminado, sem ruídos externos e que dê um caráter profissional.

- Postura – a comunicação não-verbal, através de gestos e de uma postura correta, conta pontos.

- Recursos – use os recursos multimídia a seu favor, com imagens que ilustrem o que está sendo falado. Outra alternativa é gravar a mensagem em vários idiomas.

- Contato – não se esqueça de deixar os telefones e o e-mail para contato.

Famoso por dar a anônimos seus 15 minutos de fama, o site de vídeos YouTube desponta agora como uma ferramenta para conseguir emprego. Internautas em busca de trabalho têm usado o site para divulgar videocurrículos, em que falam de sua formação, objetivos e experiências profissionais.

No Brasil, ainda são poucos os que se aventuraram pelos caminhos da autoapresentação digital, mas em países da Europa, o videocurrículo já foi incorporado ao processo de recrutamento de grandes empresas. Atenta a isso, a prefeitura da cidade espanhola de Sevilha instalou cabines especiais nas agências de emprego para que os candidatos possam gravar seus vídeos.

No mercado europeu também existem empresas especializadas – como a portuguesa meetmycv.com – que dão consultoria e fazem a produção e edição dos vídeos. Por aqui, ainda vale o bordão de "uma câmera na mão e uma ideia na cabeça". Foi assim que o gestor de vendas Rogério Martins, morador de Goiânia, gravou seu videocurrículo e o colocou na internet.

"Percebi que mandava muitos currículos, quase todos sem retorno. Pensei então em fazer algo diferente", conta. Martins procura uma vaga de vendedor e colocou o endereço do vídeo nos currículos enviados às empresas, além de divulgar o link em sites de relacionamento. Em pouco mais de uma semana, ele diz ter sido chamado para três entrevistas.

A consultora do Instituto de Organização Racional do Trabalho (Idort/SP) e psicóloga organizacional, Rosana Bueno, diz que é preciso ter muito cuidado com o conteúdo do vídeo. "É necessário um planejamento e saber quais pontos serão destacados. A imagem transmitida deve ser estritamente relacionada à função a ser desempenhada", recomenda.

Para a consultora, diferentemente de uma entrevista pessoal, no videocurrículo o entrevistado não tem a chance de se adaptar ao interlocutor. "Você nunca saberá quem está vendo seu vídeo e a imagem pessoal começa antes mesmo de se abrir a boca", afirma Rosana.

Sem piada

No YouTube é possível encontrar diversos videocurrículos que servem como modelo daquilo que não deve ser feito. Entre os erros está o caráter amador das filmagens, com iluminação precária ou o som de cachorro latindo e televisão ao fundo, por exemplo.

"O vídeo deve acima de tudo passar uma imagem profissional. É preciso escolher um cenário neutro para que o candidato seja o centro das atenções. A organização do ambiente e a escolha do traje também são fundamentais", orienta a consultora de recursos humanos da Catho Online, Gláucia Santos. "Quem aposta nesse recurso deve ter a mesma postura que teria em uma entrevista formal. Se não for possível fazer um vídeo atendendo a todos os critérios de qualidade e objetividade, é melhor desistir da ideia", completa.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]