i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Encontro

Recuperação seguirá irregular, dizem dirigentes de BCs

  • PorAgência Estado
  • 29/08/2010 18:01

Presidentes de bancos centrais de vários países do mundo disseram neste domingo (29) que uma recuperação econômica irregular tende a continuar em curso, apesar das preocupações a respeito da vitalidade da economia dos Estados Unidos.

No encontro anual do Federal Reserve (Fed) em Jackson, no Wyoming, a ansiedade, e não o pânico, estava na ordem do dia, entre economistas e funcionários castigados por uma profunda recessão e uma recuperação desapontadora. "Vamos ter que abrir nosso caminho através disso", disse Thomas Hoenig, presidente do Federal Reserve de Kansas City, que preparou o encontro.

Vários dirigentes de bancos centrais estrangeiros se disseram atingidos pelo grau incomum de pessimismo que eles testemunharam nos Estados Unidos, em contraste ao habitual otimismo dos norte-americanos. "Não posso mais esperar para voltar para o meu lado do mundo", disse Alan Bollard, governador do Banco Central da Nova Zelândia. O crescimento econômico do país, de 3% neste ano, foi sustentado pela força econômica da Austrália e da China informa o Wall Street Journal.

Funcionários do Fed estão consumidos pelo debate sobre se eles deveriam fazer mais para apoiar o crescimento econômico e evitar que uma inflação já baixa caia ainda mais. A principal opção - ressaltada, em discurso, pelo presidente do Fed, Ben Bernanke, na última sexta-feira - seria a retomada das compras de bônus de longo prazo, para levar para baixo as taxas de juros de longo prazo. O Fed já comprou US$ 1,7 trilhão de bônus do governo e dívidas de hipotecas e as taxas de juros estão nos seus níveis mais baixos em décadas.

Muitos outros em Jackson Hole endossaram a visão de Bernanke, de que a economia norte-americana retomará uma expansão moderada em 2011, após um apático segundo semestre neste ano. "O desfecho mais provável é que o mundo esteja no caminho de uma recuperação moderada", disse John Lipsky, vice-diretor gestor do Fundo Monetário Internacional (FMI).

O FMI espera realizar apenas pequenos ajustes nas suas projeções atualmente em revisão antes das reuniões da organização no começo de outubro. "Já tínhamos antecipado que haveria alguma desaceleração no segundo semestre", disse. "Os mercados emergentes estão mais fortes do que havíamos antecipado e o mais recente dado da Europa é melhor", acrescentou.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.