i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Hidrocarbonetos

Reunião em Puerto Iguazú fortaleceu posição de Evo Morales

  • PorAgências internacionais/Globo Online
  • 05/05/2006 09:53

O presidente da Bolívia, Evo Morales, logo depois da reunião de mais de três horas entre os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva, Hugo Chávez (Venezuela) e Néstor Kirchner (Argentina) em Puerto Iguazú, disse que os líderes da região respaldaram seu decreto de nacionalizar os hidrocarbonetos do país, em um marco de integração de toda a América do Sul, ressaltando que a decisão da Petrobras de suspender seus investimentos naquele país poderia não ser definitiva.

Segundo ele, o principal resultado do encontro foi o apoio recebido, expressado em garantias de mercado e de preços justos. No entanto, segundo analistas, a reunião de quinta-feira serviu apenas para fortalecer a posição de Evo Morales e, por trás dele, Hugo Chávez.

Ao ser indagado sobre uma aparente contradição entre o apoio do presidente Lula e o anúncio de suspensão dos investimentos no país por parte da Petrobras, Morales disse:

- Acima das empresas está o presidente. A última palavra tem que ser do presidente.

Morales garantiu ter dado aos colegas do Brasil e Argentina garantias plenas de normalidade no fornecimento de gás natural.

- Nunca pensamos em desabastecer nenhum país de gás, não seríamos tão irresponsáveis. A partir do momento em que o povo boliviano pensa em recuperar suas riquezas, pensa também em como garantir, não apenas como cobrir o mercado interno, mas também ampliar volumes de exportação.

Em relação aos preços, Morales mantém uma "clara posição de melhorar o preço do gás e acredita que a questão não será resolvida sob o conceito de "preço solidário" a favor dos compradores, mas levando em conta a situação econômica dos distintos países, produtores e consumidores.

Apesar de todas as "garantias" dadas por Morales, a colunista Miriam Leitão, disse que a semana foi desastrosa para a diplomacia brasileira e que a reunião entre os presidentes "foi inacreditável". Segundo ela, o Brasil foi o maior derrotado.

Mesmo com a garantia de que não haverá desabastecimento, o consenso de mercado é de que tudo pode acontecer, disse Miriam Leitão.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

    Fim dos comentários.