i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Contas públicas

"Seja qual for o ajuste, ele se fará sem sacrifícios a direitos", diz presidente do PT

Rui Falcão afirma que corte no orçamento é necessário devido à crise econômica

  • PorAgência O Globo
  • 06/01/2015 16:57

Depois de se reunir com o ministro de Relações Institucionais, Pepe Vargas, nesta terça-feira (06), o presidente nacional do PT, Rui Falcão, defendeu o ajuste fiscal que será anunciado pelo governo.

Falcão afirmou que não analisaria o tamanho do corte de despesas, mas disse que o ajuste é necessário devido à crise econômica e que serão preservados os direitos trabalhistas.

"Não vou ficar opinando sobre alcance do ajuste. Eu vou repetir: seja qual for o ajuste, ele se fará sem sacrifícios a direitos, sem prejudicar o emprego, sem arrochar salários. Essa é a orientação da presidente. O ajuste é necessário pelo quadro econômico que vocês conhecem e pelo impacto da crise econômica no país", afirmou.

Para Falcão, o discurso do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, na transmissão de cargo, segunda-feira, também segue a linha definida pela presidente Dilma Rousseff.

"Todos os ministros estão vinculados a um programa de governo que foi vitorioso nas urnas e à orientação da presidente da República. Não houve nenhuma discrepância entre o que ele disse e o que a presidente colocou como matriz da política econômica: manter valorização econômica, geração de emprego e crescimento econômico sem cancelamento de direitos" argumentou.

Segundo Falcão o partido vai cobrar a manutenção dos empregos de empresas beneficiadas por desonerações do governo federal, como as montadoras. Segundo sindicalistas, no ABC foram demitidos 1.000 metalúrgicos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.