i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Protesto

Sindicato mantém bloqueio nas obras de Belo Monte

Todos os motoristas de ônibus com trabalhadores das áreas operacionais foram orientados pelos sindicalistas a retornar à cidade de Altamira (PA)

  • PorFolhapress
  • 24/04/2012 07:56

O Sindicato dos Trabalhadores na Indústrias de Construção Pesada voltou a impedir, na manhã desta terça-feira (24), a entrada dos trabalhadores nos canteiros das obras da Usina Hidrelétrica de Belo Monte. Todos os motoristas de ônibus com trabalhadores das áreas operacionais foram orientados pelos sindicalistas a retornar à cidade de Altamira (PA).

Boa parte dos trabalhadores sequer foi para o KM 27 da Transamazônica, onde está a primeira vicinal de acesso às frentes de construção dos canais, diques e da barragem do Sítio Pimental. As obras no canteiro da barragem de Belo Monte também estão paradas.

Na segunda-feira (23), o CCBM (Consórcio Construtor Belo Monte), responsável pela construção, anunciou que vai pedir à Justiça o retorno imediato ao trabalho. O consórcio vai alegar que as reivindicações apresentadas pelo sindicato estão fora da database da categoria, que é novembro.

Embora faça essa alegação, o CCBM ofereceu reajuste do vale alimentação de R$ 95 para R$ 110 e a ampliação da folga concedida a cada seis meses de 9 para 19 dias, benefício para os migrantes retornarem às suas cidades de origem. Os dez dias adicionais, se aceitos, serão considerados como antecipação de férias.

O sindicato insiste em valor de R$ 300 para vale-alimentação e um prazo de 3 meses entre as liberações para retorno às cidades de origem.

A questão preocupa o governo. A paralisação, caso se alongue muito tempo, pode comprometer ainda mais o cronograma de obra do projeto. Relatórios da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) indicam que a construção da Hidrelétrica de Belo Monte já está atrasada.

Pelo contrato, a Norte Energia -empreendedor responsável pela construção e operação da usina- terá de começar a gerar com a primeira turbina em janeiro de 2015.

Disputa

As reivindicações fora da database podem estar relacionados a uma disputa sindical que ocorre neste momento pela representação local. Embora, legalmente, essa representação seja do Sintrapav, um corrente dissidente da CUT, chamada de Conlutas, tenta assumir o controle do comando de greve.

Durante a assembleia realizada na segunda-feira, no KM 27 da Transamazônica, sindicalistas do Sintrapav reiterou diversas vezes sobre o poder da entidade na representação dos trabalhadores.

Até o fim do ano, 15 mil trabalhadores estarão nas obras da Hidrelétrica de Belo Monte. Em 2013, serão 21 mil. Ontem, o líder do Conlutas, Atnágoras Lopes, chegou a dar entrevistas a uma TV do Pará sobre as motivações da greve.

A Conlutas critica a atuação do Sintrapav nas negociações. A organização chegou a distribuir panfletos acusando o sindicato de agir em favor do Consórcio Construtor Belo Monte. A avaliação que circula na cidade de Altamira é a de que o sindicato sentiu-se acuado, o que teria motivado a greve deflagrada ontem.

Os sindicalistas do Sintrapav temiam a organização de uma manifestação em Altamira organizada pelo Conlutas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.