Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Segundo os criadores da ferramenta,  ferramenta pode reduzir em até 70% o tempo gasto por departamentos de recursos humanos e consultorias em seleções. | Jonathan Campos/Gazeta do Povo
Segundo os criadores da ferramenta, ferramenta pode reduzir em até 70% o tempo gasto por departamentos de recursos humanos e consultorias em seleções.| Foto: Jonathan Campos/Gazeta do Povo

Em tempos de crise, antes de um match amoroso, muita gente quer mesmo é topar com uma parceria profissional que perdure mais do que um primeiro encontro. Para buscar essa longevidade nos relacionamentos entre quem procura uma (re)colocação no mercado e as empresas, a startup brasileira Apponte criou um aplicativo gratuito para ligar profissionais às vagas que mais têm a ver com seus perfis, cruzando aptidões dos candidatos e necessidades dos recrutadores. É como um grande filtro, antes de chegar ao bate-papo presencial.

As empresas, por sua vez, adicionam vagas à plataforma, especificando o que buscam dos trabalhadores, e o app se encarrega de fazer a seleção, enviando uma lista ao possível empregador.

LEIA MAIS >> Empresas podem descontar faltas na greve, mas o melhor é buscar um acordo

Todo o processo é feito online e pode reduzir, segundo os criadores da ferramenta, em até 70% o tempo gasto por departamentos de recursos humanos e consultorias em seleções. Para os candidatos, também pode ser uma boa mão na roda para evitar investidas infrutíferas em busca de uma colocação. O app começou a operar em novembro de 2017 e já conta com uma base de 200 empresas registradas e cerca de 27 mil candidatos e quase mil vagas. A ferramenta oferece recursos para gravar vídeo e áudio, algo que tem colocado perfis mais à frente na preferência do empregadores, ainda que não substitua a entrevista presencial.

A pessoa passa a ter um perfil, e não um pedaço de papel. É uma tendência nas empresas para encontrar com mais rapidez o profissional procurado. Notamos que elas têm optado por aqueles que fazem seus vídeos - diz Marcelo Haegenbeek, CEO da Apponte.

Um ponto importante é que não se trata de um mural de vagas, então, outros aspirantes às oportunidades não conseguem ver as informações que você posta. O perfil dos candidatos criado pelo aplicativo também tenta frear as mentirinhas corriqueiras nos currículos, como a fluência em idiomas. Para testar o conhecimento em línguas, é preciso repetir uma frase disponibilizada pelo app. Pode jogar no Google Tradutor?

“Pode, mas aí o candidato estará se enganando demais”, diverte-se Haegenbeek.

Vice-reitora de Gente e Gestão do Centro Universitário Augusto Motta (Unisuam), do Rio de Janeiro, a consultora em RH Edna de Oliveira alerta para essas “malandragens”, já bem recorrentes em currículos impressos e entrevistas. “Em um país com uma crise ética, demonstrar preocupações éticas e sociais é algo que vem sendo cada vez mais valorizado pelos empregadores”, alerta.

Sem medo de fazer vídeos

A consultora também ressalta a importância de perder o medo dos vídeos e encarar o desafio. Segundo ela, a apresentação audiovisual é uma tendência nos recrutamentos e pode ser, se encarada com seriedade, uma excelente maneira de ressaltar qualidades e objetivos que nem sempre ficam explícitos em uma lista curricular tradicional.

“É importante ser original, espontâneo e passar uma ideia positiva. Problemas, todos têm, mas você precisa mostrar que é daqueles que saem primeiro desses problemas”, diz.

Por enquanto, tudo é feito gratuitamente no Apponte, mas a startup pretende monetizar a prestação do serviço às empresas ou por meio da assinatura do app ou por um percentual do valor do salário quando fechar a contratação. Para os candidatos às vagas de emprego, o aplicativo permanecerá gratuito.

Como utilizar a ferramenta

1. Baixe gratuitamente o aplicativo nas lojas Apple Store ou Google Play (está disponível para iOS e Android).

2. Acesse a plataforma por meio de suas mídias sociais ou criando um login e senha.

3. Para cadastrar o perfil, acrescente as informações de acordo com o pedido em cada um dos ícones. São seis: Perfil Profissional, Dados Pessoais, Idiomas, Objetivos, Histórico Escolar, Histórico Profissional.

- Para comprovar nível nos idiomas, o candidato precisa repetir uma frase criada pelo próprio aplicativo, que identificará suas habilidades.

- O Apponte oferece recursos de gravação de voz e vídeo, que podem ser utilizados para reforçar a apresentação do candidato, enumerando habilidades e objetivos. O vídeo deve ter no máximo 90 segundos.

4. O app não é um mural de vagas. Aguarde os convites para participar de processos seletivos. Após o match, o candidato decide se aceita ou não ir adiante no diálogo com a empresa.

- Atenção: o match não significa que a empresa já quer contratá-lo, mas um sinal de que ela quer avançar nas conversas para conhecer mais o candidato. Seu perfil só será visualizado por empresas que derem match, ou seja, os concorrentes não têm também acesso as suas informações.

- O match do aplicativo recruta os perfis considerando oito pontos de acordo com as necessidades das empresas: localização (geolocalização), idioma, área de interesse, tipo de contratação (PJ, CLT, estágio etc), pretensão salarial, nível de escolaridade (formado, estudando, cursos de extensão), curso (somente para estagiário) e idade.

Dicas para gravar o vídeo

1. Preparar um roteiro e estudá-lo: desenvolva um texto se apresentando, falando de sua formação, das qualificações e de outros pontos positivos. Vale estudar os valores da empresa que você pretende trabalhar e incluí-los na sua apresentação. Meditar um pouquinho antes de gravar ajuda a travar a ansiedade.

2. Visual caprichado: exageros nunca são positivos, principalmente quando falamos de ambiente profissional. É importante estar visualmente alinhado com a sua área de atuação, mas também evite ser o que não é. Roupas extravagantes podem desviar a atenção do recrutador. Se o seu cabelo é colorido, que tal prendêlo? Você não finge um visual tão diferente do seu usual, mas também não faz com que a sua aparência acabe competindo com seus atributos profissionais.

3. Onde e como gravar: evite ambientes informais ou com muito barulho. Iluminação também é importante, evite gravar em locais escuros ou contra a luz.

4. Seja verdadeiro: fale de suas qualidades de maneira

espontânea e coloquial, reforçando valores, objetivos e atividades que têm valor ético e social, como trabalhos voluntários e intercâmbios. O ideal é imaginar que você está contando algo para um amigo ou pessoa próxima. Demonstre atitude positiva.

5. Postura e linguagem: nada de usar termos que você não costuma. Isso pode deixar a apresentação mecânica demais e ainda aumentar o nervosismo. Preste muita atenção nas concordâncias verbais e elimine as gírias.

6. Edição: insira informações como seu nome, e-mail, telefone e endereço de alguma rede social profissional ou página web em que o recrutador possa ter mais informações sobre o seu trabalho, coloque no final do vídeo (calculando um tempo para que possam ser lidas com calma). Você pode encontrar diferentes editores de vídeo na internet, muitos deles gratuitos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]