i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
conflito de interesses

TCU vai pedir investigação de conselheiro do FGTS

Luiz Fernando Emediato pediu patrocínio a empresas beneficiadas ou na fila de espera por recursos do FI-FGTS

  • PorEstadão conteúdo
  • 25/09/2014 06:13

O Tribunal de Contas da União (TCU) vai determinar que o conselho curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) apure a conduta do jornalista Luiz Fernando Emediato, representante da Força Sindical no comitê de investimento do FI-FGTS e um dos responsáveis pela aprovação de aportes do fundo.

Em relatório preliminar lido na quarta-feira, 24, na reunião do comitê, o TCU informa que dará um prazo de um mês para o conselho curador do FGTS investigar se houve conflito de interesse na postura de Emediato. O jornal O Estado de S. Paulo revelou em junho que Emediato procurou ao menos quatro empresas, beneficiadas ou na fila de espera por recursos do FI-FGTS, para que patrocinassem um filme baseado num livro que escreveu. Ele conseguiu captar R$ 1 milhão com o Banco Original, do grupo J&F.

O presidente do FI-FGTS, Dyogo de Oliveira, secretário executivo adjunto do Ministério da Fazenda, tinha informado ao conselho curador que a abertura de uma sindicância para apurar possível conflito de interesse seria possível, mas a prerrogativa era do Ministério do Trabalho. Agora, o TCU recomenda o processo.

Quando recebeu dinheiro do Banco Original para o filme, Emediato fazia parte do comitê de investimento como representante do Ministério do Trabalho. O fundo tem R$ 1,8 bilhão em debêntures (papéis de dívida) da Eldorado Brasil Celulose, controlada pelo grupo J&F, que é dona também da JBS, maior produtora de carne do mundo.

Além do Banco Original, o banco BTG e as construtoras Camargo Corrêa e Odebrecht também foram procuradas para darem apoio ao filme. Depois de questionado pela reportagem sobre as operações, Emediato pediu que as construtoras desconsiderassem o pleito, alegando que poderia causar conflito de interesses. Emediato afirmou à reportagem que não participaria de reuniões deliberativas envolvendo eventuais patrocinadoras de filme. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.