i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
zona do euro

União Europeia exige propostas factíveis da Grécia

Alemanha e França pedem que Atenas aja rapidamente para garantir novo acordo de resgate. Ministro grego das Finanças pede demissão

    • Paris e Atenas
    • Reuters
    • 07/07/2015 03:00
    Angela Merkel e François Hollande: “porta ainda está aberta para negociar resgate da economia grega, mas tempo está acabando.” | Etienne Lauren/EFE
    Angela Merkel e François Hollande: “porta ainda está aberta para negociar resgate da economia grega, mas tempo está acabando.”| Foto: Etienne Lauren/EFE

    França e Alemanha pediram à Grécia nesta segunda-feira (6) que apresente propostas sérias para retomar as negociações sobre ajuda financeira, aumentando a pressão sobre o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, um dia depois de seu país votar contra mais medidas de austeridade.

    Após uma reunião em Paris, a chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente francês, François Hollande, disseram que Atenas precisa agir rapidamente se quiser garantir um acordo financeiro em troca de reformas com credores internacionais e evitar sair da zona do euro.

    O Banco Central Europeu (BCE) decidiu manter um limite rigoroso no financiamento aos bancos gregos, que têm permanecido fechados há mais de uma semana para evitar saída massiva de dinheiro que poderia levar a um colapso. O BCE também decidiu elevar a garantia que os bancos gregos precisam fornecer por qualquer empréstimo.

    Uma autoridade do Ministério das Finanças da Alemanha refutou a ideia de que seu país estaria disposto a conceder algum alívio de dívida à Grécia, posição há muito buscada pelo governo de Tsipras.

    Após a renúncia, Yanis Varoufakis passou a missão de negociar com credores para Euclid Tsakalotos.Alexandro Vlachos/ EFE

    Renúncia

    No entanto, ainda em um sinal de que Atenas está firme na busca por um novo acordo, o combativo ministro das Finanças da Grécia, Yanis Varoufakis, renunciou nesta segunda-feira, aparentemente sob pressões de outros ministros das Finanças da zona do euro que não o queriam mais como parceiro nas negociações.

    Mais cedo, Tsipras prometeu à chanceler alemã que a Grécia vai levar uma proposta para um acordo de reformas em troca de dinheiro à cúpula de emergência de líderes da zona do euro na terça-feira (7), afirmou uma autoridade grega. Não ficou claro quanto ela vai diferir de outras propostas rejeitadas no passado.

    Após o resultado do referendo de domingo, autoridades em Bruxelas e Berlim disseram que uma saída da Grécia da zona do euro parece agora ainda mais provável. Mas também afirmaram que as conversas para evitar isso serão mais fáceis sem Varoufakis, um economista que se declara “marxista errático” e que enfureceu os parceiros da zona do euro com o seu estilo pouco convencional e afirmações intimidadoras. Ele fez campanha pelo “não” no referendo de domingo, acusando os credores da Grécia de “terrorismo”.

    O sacrifício dele indica que Tsipras, de esquerda, está determinado a tentar chegar a um compromisso de última hora com as autoridades europeias. O principal negociador com os credores internacionais, Euclid Tsakalotos, um economista acadêmico de fala suave, foi nomeado ministro das Finanças.

    Para alcançar qualquer novo acordo, a Grécia terá que superar forte desconfiança entre os parceiros, acima de tudo da Alemanha, maior credora da Grécia e maior economia da UE, onde a opinião pública endureceu em favor de a Grécia deixar a zona do euro.

    Após cinco anos de crise econômica e forte desemprego, o voto pelo “não” aos termos do resgate internacional, já rejeitado pelo governo do país, venceu por 61,3% do total de votos.

    Com dinheiro contado, gregos estocam comida e atrasam contas

    • atenas

    Sem que haja uma data para a reabertura dos bancos e sem saber até quando os caixas automáticos terão dinheiro, os gregos estão contendo ao máximo os gastos e acompanhando com ansiedade os desdobramentos da vitória do “não” no plebiscito do último domingo (5). O dinheiro disponível vai para comida, remédios, cigarro e gasolina. A maioria dos postos não está mais aceitando cartões.

    “Ninguém está pagando contas de luz, gás, aluguel. O dinheiro vai só para os gastos diários, essenciais. Minha mãe gasta metade da pensão dela com remédios”, conta o policial Dimitris Chatzis, 47 anos, depois de esperar na fila para sacar 50 euros de um caixa automático.

    A cota de 60 euros diários que cada grego tem direito a sacar desde 29 de junho foi reduzida, na prática, a 50, porque as notas de 20 se esgotaram. As lojas do Centro de Atenas e de shopping centers como o Metrol Mall, na zona norte de Atenas, com clientela de classe média baixa, estão vazias. O tráfego em Atenas nesta segunda-feira (6) parece o de um feriado.

    Confisco

    Além da falta de dinheiro na mão, o que preocupa os gregos são os rumores de confisco. Segundo o jornal britânico Financial Times, uma das alternativas estudadas para a bancarrota dos bancos é a de que parte dos depósitos bancários superiores a 8 mil euros seja confiscada. Com o controle de remessa de capitais ao exterior implementado na semana passada, os gregos não têm mais a possibilidade de mandar dinheiro para contas em outro países.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.