i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Energia

Varejo quer ser incluído em pacote de redução da energia

A CNDL também pediu ao Confaz que permita ao varejo lançar como crédito tributário o ICMS recolhido sobre as contas de luz

  • PorAgência Estado
  • 06/09/2012 16:42

O varejo quer ter acesso à mesma redução da conta de luz que será dada às indústrias a partir do ano que vem. Um ofício com esse pedido foi enviado ao ministro da Fazenda, Guido Mantega, informou nesta quinta-feira (6) o presidente da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL), Roque Pellizzaro Júnior. "Para nós, a energia é insumo para a climatização, refrigeração e outras atividades indispensáveis ao comércio", afirmou o executivo.

A CNDL também pediu ao Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), colegiado formado pelos secretários estaduais de Fazenda, que permita ao varejo lançar como crédito tributário o ICMS recolhido sobre as contas de luz. Esse é um benefício que a indústria já tem. "Essas iniciativas possibilitariam melhorar a qualidade da nossa atividade e impulsionariam os investimentos no comércio, que representa parte importante do PIB do País", concluiu.

Em agosto, as vendas a prazo, medidas pelo número de consultas ao Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), cresceram 2,52% em relação ao mês imediatamente anterior. Além disso, a inadimplência, medida pelo número de registros no SPC, caiu 4 14% na mesma comparação. Já na comparação com agosto do ano passado, as vendas caíram 1,69% e a inadimplência caiu apenas 0 45%, nessa comparação.

Para a entidade, as vendas ainda continuam em um movimento "de sobe e desce" que vem sendo verificado desde o começo do ano. O dado positivo, porém, é que agosto foi o segundo mês consecutivo de alta. "Considerando-se a época do ano, espera-se que nos próximos meses essa tendência deverá continuar", afirma a CNDL.

A CNDL destaca ainda que o número de pessoas que conseguiram quitar seus débitos, limpando o nome no SPC, caiu 0,94% em relação a agosto do ano passado. "Apesar dos salários aumentarem acima da inflação e da estabilidade dos níveis de emprego, o endividamento de meses anteriores está sendo quitado de forma errática, sem uma tendência claramente definida", observa a CNDL.

Pellizzaro avaliou que um crescimento mais forte nas vendas a prazo no varejo só deve voltar a partir do segundo trimestre de 2013. "O consumidor está com a renda comprometida com compras já efetuadas e por isso diminuiu o volume de novas aquisições para poder honrar compromissos anteriores", disse o executivo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.