i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Acidente

Vento causa naufrágio de guincho e balsa no Porto de Paranaguá

Administração do terminal relatou que uma rajada de oitenta quilômetros por hora causou a queda do guincho. Acidente não teve feridos e funcionamento do porto não foi prejudicado

  • PorAntonio Senkovski
  • 22/06/2013 16:12

Uma rajada de vento derrubou um guincho e acabou com o naufrágio de uma balsa no Porto de Paranaguá, na madrugada deste sábado (22), por volta das 4h30 da manhã. Tanto a balsa quanto o equipamento instalado no local eram utilizados em uma reforma feita no terminal de contêineres. Nenhum funcionário estava no local na hora do acidente e também não havia nenhum navio nas proximidades. O porto não teve o funcionamento prejudicado.

As informações foram divulgadas pela Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) no fim da tarde deste sábado. De acordo com o órgão, na hora em que ocorreu o naufrágio havia um vento de 80 quilômetros por hora. Ondas altas se formaram devido ao fenômeno e fizeram a embarcação utilizada para cravar estacas no fundo do mar perder a estabilidade.

Durante o dia, mergulhadores estiveram no local e averiguaram que não houve derramamento de óleo tanto no guincho quanto na balsa. A primeira possui um tanque de mil litros de óleo e o segundo de 200 litros. Ambos possuem dispositivos para evitar o vazamento em acidentes, mas uma operação especial precisará ser feita para que não haja risco de o combustível contaminar a água.

Um equipamento especial deve ser utilizado para tirar o guincho e a balsa do mar, mas apenas depois que os tanques estiverem vazios. A retirada do mar deve começar apenas a partir de segunda-feira (24), segundo a Appa.

Mudança de pressão causou rajada

O fenômeno foi registrado em alguns pontos do Paraná, na madrugada deste sábado (22), devido a uma mudança repentina nas condições meteorológicas. A meteorologista Ana Beatriz Porto, do Instituto Tecnológico Simepar, conta que todo o Leste tinha um sistema de baixa pressão em atuação, que causou as chuvas entre quarta (19) e sexta (21).

"Nesta madrugada tivemos o ingresso rápido de um ar mais seco e frio, o que aumentou muito a pressão. Esse fenômeno causa rajadas de ventos mais fortes de modo geral, mas em alguns pontos, [como ocorreu em Paranaguá] ocorrem rajadas de maior intensidade", diz.

O Simepar registrou, na região da Ecovia, ventos de 82 quilômetros por hora. Em Curitiba, o máximo constatado foi de 46 quilômetros por hora. Em Guaratuba, que fica no Litoral do Paraná, a medida do vento indicou para velocidade de 46 quilômetros por hora.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.