i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
INTERCÂMBIO

A estratégica parceria internacional

UFPR e Universidad de Navarra abrem espaço para convênios que estimularão o fluxo de alunos e professores entre as duas instituições

  • PorJorge Olavo
  • 29/04/2012 22:20
Os espanhóis Ignacio Goñi, Francisco Villaverde e Roberto Ríos em visita à UFPR | Ivonaldo Alexandre / Gazeta do Povo
Os espanhóis Ignacio Goñi, Francisco Villaverde e Roberto Ríos em visita à UFPR| Foto: Ivonaldo Alexandre / Gazeta do Povo

Brasil faz parte de plano espanhol de expansão

Com sede em Pamplona, no norte da Espanha, e outros campi em San Sebastián, Barcelona, Madri e Nova York, a Universidad de Navarra conta hoje com cerca de 60 cursos de graduação e 38 programas de pós-graduação. Fundada em 1952, a universidade encontra-se atualmente entre as 50 melhores universidades do mundo, com 10,2 mil alunos. Metade dos 1,2 mil estudantes de pós-graduação é estrangeira, no entanto, a participação de brasileiros ainda é tímida.

"O Brasil passa a ter uma posição estratégica para a Universidad de Navarra dentro do nosso plano de internacionalização", afirma o diretor corporativo de Programas de Máster, Roberto Cabezas Ríos.

Estudantes brasileiros interessados em estudar na universidade espanhola podem obter mais informações no Setor de Futuros Alunos no site da instituição. A universidade conta com uma equipe de apoio a alunos estrangeiros e também participa de programas de auxílio estudantil.

Uma comitiva de professores da universidade espanhola de Navarra esteve no Brasil na última semana para conhecer programas de pós-graduação ligados à área Biossanitária e buscar parcerias com instituições de ensino superior brasileiras. Em Curitiba, a delegação visitou a Universidade Federal do Paraná (UFPR) e abriu portas para uma série de convênios e parcerias que começam a serem estabelecidos ainda neste semestre.

A mobilidade de estudantes e professores entre as duas universidades e o trabalho conjunto em pesquisas de várias áreas do conhecimento fazem parte da estratégia de internacionalização das duas instituições. "Esse é nosso ponto estratégico e o Brasil é um país atrativo, com boas universidades e muito próspero", afirma o diretor-corporativo de Programas de Máster da Universidad de Navarra, Roberto Cabezas Ríos.

"Estamos em um momento muito forte de internacionalização. A nossa estratégia é ter mais cursos de pós-graduação com nível 6. Para isso, é preciso ter inserção internacional", conta o reitor da UFPR, Zaki Akel Sobrinho. Entre os acordos recentes da universidade paranaense estão a dupla diplomacia em Direito com a universidade italiana de Firenze e em Engenharia Mecânica com a Universidade Tecnológica de Compiègne, da França.

Saúde

A área Biomédica concentra um dos centros de excelência de Navarra, onde destacam-se pesquisas em Química Industrial, Biomedicina e Biodiversidade e Ecossistemas. E é justamente esse um dos campos de interesse em relação à UFPR. Segundo Akel Sobrinho, o convênio com Navarra deve começar com o Setor de Ciências Agrárias e seguir para as áreas de Ciências Biomédicas e Negócios.

"Vimos aqui gente com grande entusiasmo e vontade de trabalhar. Encontramos uma tecnologia interessante e equipes de pesquisa integradas", avalia o decano da Faculdade de Ciências Ignacio López-Goñi. Também fez parte da delegação espanhola o professor do Departamento de Genética Francisco Javier Villaverde.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.