• Carregando...

Os servidores técnico-administrativos da Universidade Estadual de Londrina (UEL) decidiram suspender temporariamente a greve durante assembleia realizada na manhã desta sexta-feira (21) no campus da universidade. O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Técnico-Administrativos da UEL (Assuel Sindicato), Marcelo Alves Seabra, explicou que foi definida uma suspensão até 19 de outubro, prazo máximo que o governo estadual estabeleceu para enviar à Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) a proposta do novo Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) da categoria.

Os servidores da UEL entraram em greve no último dia 11. Apesar da suspensão nesta sexta, eles só voltam ao trabalho na próxima segunda-feira (24). Outra assembleia, com servidores do Hospital Universitário (HU), seria realizada às 13h30, segundo Seabra. Além do novo PCCS, os funcionários reivindicam reajuste salarial. Seabra informou que são 6% para os servidores em cargos de nível superior, 20% para nível médio e 35% para o fundamental.

Os 11 dias de paralisação foram marcados por um acampamento dos servidores no estacionamento da reitoria, carreata, e pela sujeira no campus. Durante a greve, o Ambulatório do Hospital das Clínicas (AHC) suspendeu as aproximadamente 450 consultas diárias. Já no HU, continuaram em funcionamento apenas o Pronto-Socorro, Hemocentro, Hemodinâmica, Centro de Queimados, Quimioterapia, enfermarias e UTIs.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]