Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Tanques israelenses estacionados em região próxima à Faixa de Gaza | EFE/Abir Sultan
Tanques israelenses estacionados em região próxima à Faixa de Gaza| Foto: EFE/Abir Sultan
  • Uma Paz Impossível. Professor de Estudos Islâmicos na Universidade da Califórnia, Mark LeVine analisa um dos processos que estiveram mais perto de encerrar o conflito, o acordo assinado em 1993 pelo premiê de Israel Yitzhak Rabin e pelo líder da OLP Yasser Arafat. LeVine discute os motivos políticos e ideológicos que levaram ambos os lados a descumprir as promessas de paz.
  • Sonhando a Palestina. Escrito quando a autora, Randa Gahzy, tinha 15 anos, o romance enfoca um grupo de amigos vivendo em território conflagrado pela Segunda Intifada. Gahzy contrapõe a vida dos palestinos com a imagem dos territórios na mídia, enfocando os dilemas de sete jovens crescendo entre revistas, deveres impostos e doutrinações de homens-bomba.
  • A Mulher Foge. Um dos grandes autores israelenses, David Grossman apresenta uma síntese da experiência fraturada pelas guerras que opõem Israel a seus vizinhos árabes. Após ter o filho convocado para a Guerra do Líbano, mulher foge de casa com medo de receber a notícia da morte do jovem. Depois de Grossman começar a escrever o livro, seu filho alistou-se no exército – e morreu em serviço.
  • O Povo Eterno Não tem Medo. Romance também escrito por uma jovem autora, Shani Boianjiu, que compôs a obra baseada em suas próprias experiências durante o serviço militar obrigatório de Israel – as mulheres também passam pelo exército no país. Com uma prosa irônica, a autora narra a história de três jovens que crescem juntas em um vilarejo na fronteira com o Líbano e são convocadas para as forças de defesa.
  • De Amor e Trevas. Uma das mais ativas vozes em favor da paz na região, o escritor Amós Oz faz emDe Amor e Trevasuma longa e afetiva aproximação de sua própria trajetória com a história de Israel. O volume traz um amplo levantamento da história do país no século 20, no qual o autor define Israel como uma necessidade histórica de um povo ameaçado de aniquilação.
  • Palestina: Uma Nação Ocupada. Essa extensa e minuciosa reportagem em quadrinhos do quadrinista norte-americano (maltês de nascimento) Joe Sacco discute a questão palestina, seus antecedentes resultantes do colonialismo britânico e, principalmente, entrevista um grande número de moradores dos territórios ocupados, documentando a vida das populações locais espremidas pelas medidas de segurança de Israel, vivendo em territórios sem infraestrutura.
  • A cicatriz de David. O livro de Susan Abulhawa retrata o drama dos palestinos expulsos dos territórios ocupados por Israel. Ismael, garoto palestino marcado por uma cicatriz na face, perde-se dos pais e é levado por um oficial israelense que o adota como filho. Anos depois, encontrará um irmão perdido lutando no lado oposto do conflito na região.
  • Um Muro na Palestina. Partindo do episódio da construção do muro da Cisjordânia, René Backmann, jornalista francês, faz do muro, de seus postos de controle e de sua manutenção um retrato em miniatura da tensão envolvida na convivência entre israelenses e palestinos, além de um levantamento histórico das raízes do impasse entre os dois povos.

Na estante

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]