Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Divulgação
| Foto: Divulgação

Tour Virtual

Que tal um passeio pelo Museu Virtual de Imagem e História do Brasil, da Unopar? Acesse www2.unopar.br/sites/museu

Durante o ano de vestibular é comum aquele estudo metódico, debruçado sobre os livros. É a rotina de resolver exercícios, revisar anotações de aulas, devorar a literatura obrigatória. Mas boa parte dos estudantes está de férias em julho e o caderno Vestibular tem uma proposta. Que tal sair para passear?

Pode ser em Curitiba ou em cidades e estados vizinhos, o que importa é ir preparado para novas informações ou para ver, de forma diferente, aquilo que já está nas apostilas. Com isso, dá para movimentar o corpo e buscar o aprendizado de forma mais concreta e lúdica, trabalhando outras áreas do cérebro. Vale conhecer as obras em exposição no Museu Oscar Niemeyer (MON), vasculhar as prateleiras da casa de leitura Dario Vellozzo, no centro histórico, ou visitar as ruínas de São Miguel, grande cartão-postal brasileiro no Rio Grande do Sul e cenário carregadíssimo de história. Não importa o destino, é só estar preparado para o conteúdo e curtir novos ares.

Parece divertido, mas também não dá para fazer desses dias de folga uma rotina estressante. Para o professor de Língua Portuguesa do curso Acesso João Filipe de Souza Magnani, mais do que uma busca desenfreada por itinerários culturais, esse é um período de descansar. "Mas o descansar também pode ser com informação, sem ter aquele caráter ou maneira formal de estudo. O estudante deve saber aliar as duas coisas, não pode se estressar demais estudando o tempo todo e nem ‘largar mão’ completamente, o que faria com que ele perdesse a pegada e o ritmo", diz.

Segundo o educador da seção Vida do Museu Catavento Cultural Educacional, de São Paulo, o vestiba não deve perder a chance de aproveitar as férias visitando locais que permitem a experimentação dos conceitos cobrados pelo vestibular. "É o caso do Catavento, que em cada seção traz noções que podem ser observadas por meio dos experimentos de ciência, de forma divertida. Um exemplo é a parte genética, mostrada na prática com o funcionamento das células", conta.Até uma caminhada pelas ruas pode ser útil se o olhar estiver voltado para o aprender, como lembra o professor de Geografia do Colégio Estadual do Paraná Hectore Pires Vaghetti. "O centro histórico, com destaque para o Memorial de Curitiba, é uma boa dica, pois além de o estudante se deparar com a história da cidade, ainda pode presenciar apresentações culturais e visitar as obras que ficam no segundo andar", diz.Preparado? Então conheça alguns dos destinos que podem ajudá-lo na caminhada pela vaga na universidade:

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]