i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Eleições 2020

Líder nas pesquisas, Russomanno desafia histórico de “cavalo paraguaio” em SP

  • 24/09/2020 16:49
Deputado federal Celso Russomanno (Republicanos) vai tentar se eleger prefeito de São Paulo pela terceira vez.
Deputado federal Celso Russomanno (Republicanos) vai tentar se eleger prefeito de São Paulo pela terceira vez.| Foto: Douglas Gomes/Republicanos

Em sua terceira tentativa de se eleger prefeito de São Paulo, Celso Russomanno (Republicanos) tem apresentado bom desempenho nas pesquisas eleitorais. Em duas delas – do Ibope e do Datafolha –, Russomanno aparece na liderança, com 24% e 29% das intenções de voto, respectivamente.

O atual prefeito Bruno Covas (PSDB) aparece em segundo lugar nos dois levantamentos, registrando 18% das intenções de voto na pesquisa do Ibope e 20% na do Datafolha (veja a metodologia de todas as pesquisas citadas no final desta reportagem).

A única exceção até agora foi a pesquisa do Instituto Ideia, em parceria com a revista Exame, que apontou um empate técnico entre Russomanno e Covas (com 21% e 22% das intenções de voto, respectivamente).

Em 2012, Celso Russomanno também liderava nas pesquisas, mas perdeu a eleição

Os números positivos, entretanto, parecem um déjà vu: nas outras ocasiões em que disputou o Executivo municipal, Russomanno também aparecia como favorito nos primeiros levantamentos. Nas eleições de 2012, ele chegou a ter 35% das intenções de voto em pesquisa do Datafolha, divulgada em 20 de setembro daquele ano.

Em outra pesquisa, publicada pelo Ibope em 13 de setembro de 2012, Russomanno aparecia com os mesmos 35% – vantagem considerável em relação ao segundo colocado, José Serra (PSDB), que tinha 19%.

Naquele ano, porém, Russomanno não chegou sequer ao segundo turno. Com 21,6% dos votos, ele ficou em terceiro lugar. O pleito acabou sendo decidido entre Fernando Haddad (PT) – que venceu as eleições, com 55,6% dos votos – e José Serra (PSDB), que teve 44%.

Em 2016, outro terceiro lugar

Quatro anos depois, o mesmo padrão se repetiu. No final de agosto, em pesquisas realizadas pelo Datafolha e pelo Ibope, Russomanno aparecia na liderança, com 31% e 33% das intenções de voto, respectivamente.

O deputado, entretanto, acabou novamente em terceiro lugar, obtendo 13,6% dos votos. Fernando Haddad (PT) ficou em segundo, com 16,7%. Naquele ano, João Doria (PSDB) foi eleito no primeiro turno, com 53,29%.

Russomanno vai desafiar a sina em 2020?

A experiência indica que, apesar do sucesso nas eleições proporcionais – o apresentador de TV já foi eleito deputado federal em seis ocasiões, afinal –, disputas majoritárias como a da prefeitura não são o forte de Russomanno. Mas, em 2020, há um fator surpresa: o apoio do presidente Jair Bolsonaro.

Bolsonaro chegou a pessoalmente intervir para que Marcos da Costa, do PTB, desistisse da candidatura própria e, assim, compusesse a chapa de Russomanno. Antes da definição, o deputado chegou a cortejar Joice Hasselmann (PSL) para o posto de vice, mas o PSL não abriu mão da candidatura individual.

O presidente também fez afagos públicos a Russomanno nas redes sociais, compartilhando um post feito pelo candidato a prefeito no Twitter. O postulante do Republicanos conta, ainda, com apelo junto ao público evangélico.

Rodrigo Prando, sociólogo e cientista político da Universidade Presbiteriana Mackenzie, afirma que há a possibilidade de que a campanha de Russomanno desidrate e ele não vá para o segundo turno. "Mas, nesse momento, temos que avaliar o quanto vai ser positivo para ele ter o apoio de Bolsonaro, ou o quanto a presença do presidente pode significar, na verdade, uma perda de votos", diz.

Isso porque o apoio do presidente não é, necessariamente, um trunfo na eleição da capital paulista. A mesma pesquisa do Ibope que mostrou Russomanno com 24% das intenções de voto apontou, também, que 47% dos paulistanos avaliam a gestão de Bolsonaro como ruim ou péssima. Outros 24% consideram a administração regular, enquanto 27% avaliam o governo como ótimo ou bom.

Prando salienta, porém, que, do outro lado, Bruno Covas (PSDB) terá o apoio de João Doria (PSDB), que também divide opiniões. "O cenário para Covas pode mudar se São Paulo começar a vacinar as pessoas contra o novo coronavírus antes do restante do Brasil", avalia.

Metodologia das pesquisas citadas

  • O Ibope entrevistou 1.001 eleitores de São Paulo, com 16 anos ou mais, entre os dias 14 e 20 de setembro. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. A pesquisa foi registrada no TRE-SP com o protocolo SP‐04089/2020. O levantamento foi contratado pela Associação Comercial de São Paulo.
  • O Instituto Datafolha ouviu 1.092 eleitores de São Paulo, presencialmente, entre os dias 21 e 22 de setembro. A pesquisa foi encomendada pelo jornal Folha de S. Paulo. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos, e o nível de confiança é de 95%. O número de registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é SP-06594/2020.
  • O levantamento realizado pelo Instituto Ideia em parceria com a revista Exame ouviu 800 eleitores em São Paulo, por telefone, entre os dias 19 e 22 de setembro. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. O número de registro da pesquisa no TSE é SP-07391/2020.
  • Na pesquisa divulgada no dia 20 de setembro de 2012, o Datafolha ouviu 1.802 pessoas entre os dias 18 e 19 de setembro daquele ano. A margem de erro do levantamento é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. O número de registro no TSE é SP-00961-2012.
  • O Ibope ouviu, para pesquisa divulgada no dia 13 de setembro de 2012, 1.001 entrevistados entre os dias 8 e 13 de setembro daquele ano. A margem de erro do levantamento é de três pontos percentuais, para mais ou para menos. O número de registro no TSE é SP-00835/2012.
  • Já na pesquisa divulgada em 23 de agosto de 2016, o Ibope ouviu 805 entrevistados entre os dias 19 e 22 de agosto daquele ano. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. O registro no TSE é o SP-07072/2016.
  • Por fim, a pesquisa do Datafolha ouviu 1.092 pessoas nos dias 23 e 24 de agosto de 2016. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. O registro no TSE é o SP-01183/2016.
2 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 2 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • S

    Salo

    ± 2 horas

    Com este prefeito, São Paulo poderá pelo menos ter um xerife para atender o consumidor. Mas, do outro lado do balcão, como será ele com os consumidores nas empresas publicas onde ele nomeará os dirigentes? Embora como prefeito ele não vá se tornar fornecedor, mas as empresas que pertencem ao Municipio, serão. Todavia, como administrador publico deve tratar o povo como se fosse consumidor. Será fácil para ele?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • E

      Emerson Luís

      ± 3 horas

      "Cavalo paraguaio" é uma gíria utilizada no futebol brasileiro para designar equipes ou jogadores que tenham uma boa atuação no começo de um campeonato, ou mesmo em uma partida, e a seguir decaem de modo a serem superados pelos demais. (Repórter usa uma expressão popular e não explica para quem desconhece...)

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      Fim dos comentários.