i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Prefeito eleito

Eduardo Paes vai assumir o Rio com menos dinheiro e mais problemas. Veja os desafios

  • PorGustavo Ribeiro, especial para a Gazeta do Povo
  • 30/11/2020 17:11
Quais são os desafios do prefeito eleito do Rio, Eduardo Paes
Eduardo Paes (DEM), o prefeito eleito do Rio de Janeiro, quer dar prioridade para a saúde pública e a volta à aulas.| Foto: Divulgação

Prefeito eleito do Rio de Janeiro no domingo (29) com 64,07% dos votos válidos, Eduardo Paes (DEM) garantiu que está mais maduro e experiente em relação a quando assumiu o comando da cidade pela primeira vez, em 2009. Passados dois mandatos e uma eleição perdida para o governo do estado em 2018, a experiência adquirida ao longo desse período – ele está agora com 51 anos – será necessária para conseguir resolver os inúmeros problemas pelos quais a capital fluminense atravessa.

Nos dois primeiros mandatos, entre 2009 e 2017, a realização da Copa do Mundo de 2014 e da Olimpíada de 2016 turbinaram os investimentos na cidade, notadamente em infraestrutura e mobilidade. O poder público conseguiu até mesmo colocar em prática o projeto de revitalização do porto, uma das áreas mais degradadas do Rio.

O bom relacionamento com os governos petistas de Lula e Dilma Rousseff também facilitou a administração de Eduardo Paes. Até mesmo o ex-presidente Michel Temer direcionou recursos para o estado do Rio e que foram usados para sanar demandas da capital.

Hoje o cenário é outro. Não há recursos abundantes. Pelo contrário. O prefeito eleito terá de lidar com um rombo financeiro. Aliás, ele ainda nem sabe o tamanho do buraco no caixa da prefeitura. O déficit do ano passado de R$ 4 bilhões dá uma pista, e isso foi antes de todos os gastos extras forçados pela pandemia da Covid-19.

Não por acaso o atual prefeito Marcelo Crivella (Republicanos), derrotado nas urnas no domingo, avisou que não vai conseguir pagar em dia a primeira parcela do 13º salário dos servidores municipais.

Além disso, Eduardo Paes vai precisar se aproximar do presidente Jair Bolsonaro, que foi cabo eleitoral de Crivella. Em entrevista à GloboNews, o emedebista já acenou para o governo federal. Resta saber como será a resposta.

“Não tive apoio do presidente Bolsonaro. Ele apoiou a candidatura do Crivella, mas a eleição acabou ontem [domingo] às cinco horas da tarde. Mas foi o que eu disse a campanha inteira: vamos trabalhar em parceria institucional com o governo federal. O presidente Bolsonaro é do Rio. Você tem um monte de pessoas importantes em Brasília que são do Rio. O Rio precisa de ajuda neste momento. Nós vamos trabalhar integrados o tempo todo, buscando as soluções para os problemas”, disse Eduardo Paes nesta segunda-feira (30).

Saúde: prioridade de Eduardo Paes é a Covid-19

Eduardo Paes vai precisar contar com o governo federal para enfrentar o que ele mesmo considera o grande desafio do Rio, ou pelo menos o mais urgente: a Covid-19. Durante o discurso da vitória, o prefeito eleito adiantou que o assunto é prioridade para ele, tanto que já confirmou quem será o secretário da Saúde de seu futuro governo: o médico sanitarista Daniel Soranz, pesquisador da Fiocruz. Soranz já exerceu o cargo entre 2014 e 2016 na segunda gestão de Paes na capital.

“A primeira medida está na saúde pública, está na pandemia, que assolou a nossa cidade, o nosso estado, o Brasil e o mundo", disse Paes. “Nós precisamos recuperar as Clínicas da Família, prepará-las para o processo de vacinação, recuperar o abastecimento e a regularização de medicamentos”, completou.

Com o governo federal, o prefeito eleito espera negociar a liberação de testes para a detecção da doença e o recebimento da futura vacina. “Vamos começar a trabalhar primeiro para trazer muita testagem para a cidade do Rio de Janeiro. O governo federal tem uma quantidade muito grande de testes neste momento e a gente quer trazer, pelo menos, 400 ou 450 mil testes”, declarou em entrevista coletiva nesta segunda-feira.

Em novembro, a cidade viu o número de casos e mortes devido ao novo coronavírus aumentar. Há, inclusive, fila de espera para leitos de UTI. Segundo informações da Secretaria de Saúde do estado, a ocupação das UTIs do SUS para o tratamento da Covid-19 chegou a 93% no sábado (28).

Com um mês pela frente antes de tomar posse, Paes não sabe como está a situação. Mesmo assim, garante que não vai fechar a cidade com lockdown, já que isso seria “extremo e desnecessário”. Para ele, o mais importante é enfatizar as medidas de distanciamento social e o uso de máscaras.

Educação: dois anos letivos em um

A educação será outro desafio para o prefeito eleito do Rio de Janeiro. Com a pandemia, o tema se torna ainda mais urgente. A grande questão para Eduardo Paes será recuperar o ano praticamente perdido na rede municipal de ensino e colocar em prática um plano para o retorno presencial dos alunos.

São mais de 640 mil estudantes que foram afetados pela pandemia. Em 2021, o calendário precisará acomodar dois anos letivos em apenas um. Isso se for possível retornar às aulas presenciais.

Paralelamente, o governo municipal vai precisar agilizar a distribuição de tablets com internet para que de fato o ensino virtual chegue a todos os alunos. No plano de governo, Paes prometeu que isso será feito.

Além das questões diretamente ligadas à pandemia, o prefeito eleito vai precisar aumentar as vagas em creches e pré-escolas, pois hoje não há espaço suficiente para atender toda a demanda da cidade.

Transporte: terminar o BRT que o próprio Eduardo Paes começou

Um dos marcos das gestões passadas de Eduardo Paes foi o BRT, o sistema de transporte coletivo que opera em corredores exclusivos para os ônibus. O BRT está em funcionamento desde 2012, mas nem todos os corredores previstos foram implantados, inclusive durante o último mandato de Paes.

Em relação aos trajetos, o desafio prioritário é concluir o BRT Transbrasil, que liga Deodoro ao centro do Rio. A obra, com investimento de mais de R$ 1,5 bilhão, deveria ter sido inaugurada em 2017. Mas isso não ocorreu.

Outro aspecto do BRT que precisa ser equalizado é o tamanho e o uso da frota de ônibus. Hoje é uma reclamação recorrente dos usuários a superlotação nos veículos, atrasando as viagens e as tornando menos seguras.

No plano de governo, Paes se comprometeu a entregar o corredor Transbrasil do BRT até o final de 2022, além de aumentar o número de veículos no sistema. Também se comprometeu a garantir ar-condicionado em pelo menos 80% dos ônibus do sistema de transporte público – algo considerado essencial para o conforto do usuário em uma cidade quente como o Rio.

Em 2017, após deixar a prefeitura, Paes chegou a ser multado em R$ 200 mil após ação do Ministério Público que o denunciou por não ter cumprido a meta de climatizar 100% da frota.

5 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 5 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • M

    Mauricio Conde

    ± 0 minutos

    Crivella perdeu a eleição para si mesmo. Foi uma gestão ruim para não dizer péssima. E o Paes nadou de braçadas em sua alta taxa de rejeição de mais de 60%. Mas estão enganados os que pensam que o Paes é o salvador da pátria. De bom nele é o pragmatismo de manter diálogo com o governo federal não importando quem seja o PR. Lembro bem que durante 8 anos nos governos Brizola, o RJ esteve na oposição política do governo federal. E até hoje o RJ colhe as desgraças do governo Brizola.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • N

      NILSON BORGES DO ROSARIO

      ± 2 horas

      as pessoas têm memória fraca (para dizer o mínimo) e a justiça deste país trabalha para favorecer corruptos, como aconteceu com o "nervosinho", alcunha do prefeito eleito do Rio. Coitados esses cariocas. Será.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      1 Respostas
      • S

        Sartan

        ± 1 horas

        O Arauto da moralidade o candidato perfeito o Crivella também tem problemas com corrupção além de ter tido a proeza de o povo do Rio ter repulsa dele e dos seus "guardiões". como sempre só sabem reclamar e julgar m,as fazer melhor nada. ai não adianta chorar , ainn povo burro não votou no meu candidato.

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

    • R

      Rubens Farias

      ± 3 horas

      Com menos ou mais dinheiro ele já provou que é capaz de roubar do mesmo jeito

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • R

        ROBERTO DAVID ARBEX

        ± 4 horas

        Gostaria de fazer apenas uma pergunta. O que acontece com todos aqueles "descaminhos" que o cidadão aí "confessou indiretamente" em um vídeo que assisti e no qual falava com o molusco? O tal do MP, a "Justiça Eleitoral", etc., talvez não tenham visto o tal vídeo. Caso eu o ache, tendo em vista que não arquivo delação, confissão, ou sei lá como se chama este ato, prometo que divulgo para que alguém possa tomar as "medidas cabíveis", se é que tem alguma.

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        Fim dos comentários.