Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Cirino (com a 10) e Lucho se cumprimentam enquanto Rony salta para comemorar o segundo gol do jogo.
Cirino (com a 10) e Lucho se cumprimentam enquanto Rony salta para comemorar o segundo gol do jogo.| Foto: Albari Rosa/ Arquivo Gazeta do Povo

A vitória do Athletico sobre o Internacional por 2 a 1, no dia 18 de setembro do ano passado, no Beira-Rio, que deu o título da Copa do Brasil de 2019, foi eleita pelos leitores da Gazeta do Povo e Tribuna do Paraná como o jogo mais importante da história do clube. Em enquete com 1.576 votos relacionando as dez maiores partidas do Furacão, o confronto em Porto Alegre teve 30% dos votos.

Em segundo lugar na enquete ficou o primeiro jogo da final do Brasileirão de 2001, quando o Athletico venceu o São Caetano por 4 a 2 na Baixada, com 21% dos votos. Na terceira posição ficou a partida na sequência, a vitória fora de casa sobre o Azulão por 1 a 0, que garantiu o título rubro-negro, com 18% dos votos.

Essenciais nos dois gols no Beira-Rio, o atacante Marcelo Cirino e o meia Léo Cittadini comentaram sobre a importância daquela partida para a história do clube e da carreira deles. O primeiro, que está no Brasil enquanto aguarda o retorno do campeonato chinês, ficou marcado pelo drible histórico antes do segundo gol de Rony, que definiu a partida.

| Albari Rosa/Gazeta do Povo

"O título foi muito importante pra gente pois tínhamos muitos jogadores novos revelados na base do Athletico e pra mim tem uma importância ainda maior por tudo que eu vivi dentro do clube. Em 2013 chegamos na final e infelizmente perdemos o título e tendo uma nova oportunidade de ser campeões acho que tem um significado maior", contou Cirino para a Gazeta do Povo/Tribuna do Paraná.

O jogador hoje do Chongqing Lifan contou que fazer parte de um momento marcado na história do clube, em um título inédito, tem muito significado para ele e toda a sua família. Cirino ainda ressaltou que, apesar de todos os torcedores recordarem com alegria do drible histórico, o mais importante para ele foi erguer a esperada taça no final.

| Albari Rosa/Gazeta do Povo

"Espero ser lembrado para sempre também pelo lance, mas o mais importante pelo titulo. Se a gente não tivesse sido campeão, o drible não teria o significado que teve. Então o mais importante foi a conquista da Copa do Brasil", resume o atacante, que teve três passagens pelo time profissional do Furacão, entre 2009 e 2010, 2012 a 2014 e entre 2018 e 2019.

Já o meia Léo Cittadini ficou marcado por anotar o primeiro gol da partida, ainda no primeiro tempo, essencial para a conquista que marcou o ano passado dos atleticanos. Algo que deixou aquele 18 de setembro carimbado na carreira do jogador, que segue no elenco rubro-negro.

| Albari Rosa/Gazeta do Povo

"Particularmente, é o jogo mais importante da minha carreira. Para o clube também foi histórico, por ser um título inédito", admitiu o meia através da assessoria de imprensa do Athletico.

"Eu fui abençoado por marcar na decisão, um gol importantíssimo que nos deu tranquilidade naquele momento. Quando forem lembrar do título da Copa do Brasil, vão lembrar também desse gol. Então é algo especial demais e que me deixa muito feliz. Agradeço por ter participado desse título e ter entrado de alguma forma na história do Athletico", acrescentou Cittadini, peça fundamental no jogo mais importante da história do Furacão.

| Albari Rosa/Gazeta do Povo

Ficha técnica

COPA DO BRASIL
Final – jogo de volta
18/09/2019

INTERNACIONAL 1×2 ATHLETICO 

Internacional
Marcelo Lomba; Bruno (Nonato), Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Uendel; Rodrigo Lindoso, Edenílson, Patrick (Rafael Sóbis) e Wellington Silva; Nico López e Guerrero.
Técnico: Odair Hellmann

Athletico
Santos; Khellven (Madson), Léo Pereira, Robson Bambu e Márcio Azevedo; Wellington, Léo Cittadini (Lucho González) e Bruno Guimarães; Nikão, Rony e Marco Ruben (Marcelo Cirino).
Técnico: Tiago Nunes

Local: Beira-Rio (Porto Alegre – RS)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP) e Bruno Raphael Pires (Fifa-GO)
VAR: Bráulio da Silva Machado (Fifa-SC)
Gols: Léo Cittadini 23 1ºT; Nico  López 31 1ºT; Rony aos 50′ do 2ºT
Cartões amarelos: Nico López, Bruno, Moledo (INT); Wellington, Marco Ruben (CAP)
Público pagante: 44.804
Público total: 
50.355
Renda: 
R$ 2.742.150,00

7 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]