Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

O que ocorre no Atlético é que antes tínhamos treinador e não tínhamos time nem goleiro. Agora temos time, porém não temos treinador nem goleiro. Não sei até quando, teremos de testemunhar alquimistas e inventores num negócio que é muito simples. Organizar o time e jogar futebol.

Mauro Fregonese, por e-mail

Vergonha

Esse governador tampão quer ficar para sempre nos braços da torcida atleticana. Alguém acha que a construtora vai pagar os R$ 90 milhões? É claro que não vai. Quem irá pagar é o estado (povo). Vergonha... Poderia construir um estádio novo como os outros estados, com quadras esportivas, piscinas, teatro etc.

Luiz Chimenes, por e-mail

Conta

Não gostei da proposta para conclusão [da Arena], pois quem vai pagar as contas somos nós. Se o Atlético ofereceu o estádio, tinha de ter dinheiro para terminá-lo.

Edinei Romig, por e-mail

Estádio público

Acho uma vergonha, uma falta de honestidade, tanto do governador do estado do Paraná como do prefeito de Curitiba, tomarem esse rumo; utilização de recursos públicos, dinheiro dos impostos do povo paranaense, para concluir uma obra particular. Curitiba pode perfeitamente sediar a Copa 2014, através de um plano B, construindo um estádio público para beneficiar todos os clubes paranaenses.

Darci de Andrade, por e-mail

Incrível

É inacreditável a capacidade dos políticos paranaenses em realizar manobras para direcionar recursos públicos em propriedade particular (Arena do Atlético), em prejuízo de inúmeras necessidades prioritárias para a população de Curitiba, em troca de três jogos de futebol. São esses políticos que estarão disputando os votos do eleitorado em outubro/2010. Insisto, vamos deixar a Copa para cidades que possuem seus estádios públicos. Acorda, povo paranaense!!!

Jorge Luiz Tuleski, por e-mail

Vale a pena

R$ 150 bilhões é o que se calcula que a economia vai gerar em razão da Copa, ou seja, mais ou menos uns R$ 2,5 bilhões por partida. Curitiba deve receber umas 4 partidas, totalizando R$ 10 bilhões, para investimentos da ordem de R$ 600 milhões. Embora pareça óbvio ser contra o uso de dinheiro público, esse é um caso em que se justifica. O foco na questão de o Atlético ser beneficiado impede que se observe o quanto a cidade e o próprio estado se beneficiarão.

Maugham Zaze, por e-mail

Saída errada

Como cidadã curitibana, nascida e vivendo sempre nessa cidade, quero relatar minha opinião sobre o assunto da saída financeira encontrada para conclusão da Arena e sobre a vinda da Copa do Mundo em 2014. Acredito que a Copa do Mundo seja algo bom para Curitiba, pois irá trazer investimento, haverá geração de empregos diretos e indiretos, antes e durante a Copa. E desenvolvimento para uma cidade sempre é bom. O que eu acho completamente errado é utilizar dinheiro público, porque isso que estão fazendo é usar o dinheiro que poderia ser usado para saúde, educação, segurança para terminar uma obra privada. O estádio do Atlético Paranaense é privado por isso sou totalmente contra. Porque não acharam uma solução que fosse boa para todos e não para apenas um? Por que não criar um novo estádio que pudesse ter jogos de todos os times da capital, pudesse ter shows e ser um local para eventos diversos? Dinheiro público em obra privada, não.

Cintia Basso, por e-mail

Dinheiro privado

A Copa do Mundo inegavelmente irá angariar benefícios de extrema valia tanto para Curitiba, quanto para o Paraná. Somente o PAC da Copa já compensa em muito os valores destinados ao auxílio na conclusão da Arena. Sem contar o incremento nas receitas através de impostos, com a impulsão do comércio e da indústria, com o aquecimento do turismo. É uma oportunidade única. Vale dizer que as obras da Baixada serão financiadas com dinheiro privado, na medida em que todo o procedimento, como as próprias matérias da Gazeta noticiam, está sendo adequado aos trâmites jurídico-legais. Apesar disso, triste é considerar que, motivados por paixões clubísticas, rivalidades políticas e outras situações enquadradas no que se convencionou chamar de "autofagismo" paranaense, meios de comunicação vêm procurando impingir a essa operação um caráter de ilegalidade e de afronta ao interesse público. Ora, afronta ao interesse público será perder todas as benesses de um evento desse porte. É preciso bom-senso: os louros de uma possível perda da Copa, contemplados por sorrisos de canto de boca, compensam os prejuízos de ver o dinheiro da indústria, do comércio, do turismo e as benfeitorias das obras públicas passarem defronte a nós, mas não agregarem nosso patrimônio? É de se pensar.

Diego Jörgensen, por e-mail

Coxa sem laterais

É impressionante a ruindade dos times da Segunda Divisão. O Coritiba tem se aproveitado e conseguido bons resultados apesar de ter um time médio, vivendo principalmente das boas atuações de Dudu, Rafinha e Leandro Donizete. O Marcos Paulo, que foi a a grande revelação do time, caiu muito de produção, esqueceu de como se joga bola, infelizmente. Mas o principal problema do time são os laterais, tanto que o Lucas Mendes, que é zagueiro de ofício, tem jogado muito bem naquela posição, pois o Triguinho pela esquerda e Angelo pela direita são extremamente fracos. Se tivesse jogadores de melhor qualidade, o Coritiba estaria disparado na frente. Além de que o time é líder, mas perde muito gol.

Raul Antonio Gelbecke, por e-mail

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]