i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
copa 2014

Petraglia admite risco real de leilão da Arena da Baixada e do CT do Caju

  • PorDaniel Malucelli
  • 13/12/2017 19:54
Arena da Baixada corre risco de ser penhorada. | Albari Rosa/Gazeta do Povo
Arena da Baixada corre risco de ser penhorada.| Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo

O presidente do Conselho Deliberativo do Atlético , Mario Celso Petraglia, admitiu, em entrevista à rádio Transamérica, o risco real da Arena da Baixada e do Centro de Treinamentos do Caju serem leiloados por conta do imbróglio judicial que envolve o acordo tripartite feito para a reforma do estádio para a Copa de 2014.

“Claro que é [real a chance da leilão]. A dívida tem que ser paga. Nós temos títulos e créditos para pagar essa dívida. Se o Atlético não pagar a parte dele, estão em garantia [o CT e o estádio]. Mas estamos pagando. Deveriam ter nos financiado R$ 346 milhões. Porém, só financiaram R$ 291 milhões. Quem pagou os R$ 55 milhões? O Atlético. Pagou fornecedores e todo mundo”, disse Petraglia.

>> VEJA TAMBÉM: Gestão Greca garante que não dará dinheiro extra ao Atlético para pagar Arena

O embate jurídico é travado entre Atlético e Fomento Paraná – agência de crédito vinculada ao governo estadual. O processo já corre na Justiça há 748 dias (pouco mais de dois anos). A instituição cobra do clube o valor do empréstimo de R$ 291 milhões repassados para a CAP S/A, sociedade criada pelo Rubro-Negro para gerenciar a reforma da Arena.

Entretanto, o clube contesta os valores baseado na divisão do acordo tripartite firmado entre Atlético, prefeitura e governo do estado. O Furacão pede que as três partes dividam o valor final da obra, de R$ 346 milhões, e não a quantia inicial orçada, de R$ 184 milhões. Do outro lado, o banco de crédito alega que o acordo não envolve a instituição e esta é uma questão que deve ser resolvida pela administração atleticana.

>> LEIA TAMBÉM: Saiba quanto o Atlético ainda deve pela Arena e quanto faturou com eventos no estádio

“O custo do estádio foi de R$ 346 milhões. Então, se dividir esse valor por três, dá R$ 115 milhões em números redondos. Então cabe [pagar] mais R$ 55 milhões para cada um. Os R$ 346 milhões que estão nos contratos tripartite, o estado teria que financiar o Atlético em 100%, mas só financiou R$ 291 milhões”, reforçou Petraglia.

***

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.