Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

O Brasil praticamente disse adeus às chances de conquistar o sétimo título do Grand Prix ao perder para a Holanda por 3 a 2 (25/19, 19/25, 25/23, 23/25 e 15/8), na madrugada de ontem, em Ningbo, na China. Depois de perder duas vezes para o Brasil na fase de classificação, a Holanda é a única equipe invicta da fase final, com 3 vitórias, e caminha para conquistar seu primeiro título internacional.

Com uma vitória e duas derrotas na fase final, o Brasil precisa vencer os dois jogos que restam: hoje, contra a Itália, diante de quem tem uma vitória e uma derrota na fase de classificação, e amanhã, diante da China, a dona de casa. Além disso, precisa torcer para que Holanda perca seus dois jogos, contra a lanterna Polônia (sábado) e a Rússia, e para que as chinesas vençam as russas hoje. A única vantagem da equipe de José Roberto Guimarães é que, nos dois dias, faz os últimos jogos da rodada, às 8h30 (de Brasília).

"A possibilidade de alcançarmos o pódio é grande. Temos de aproveitar o nível dos dois próximos adversários, evoluir e tentar fazer a nossa parte", avaliou Zé Roberto, consciente das pequenas chances de título. "A Holanda trabalhou duro, tem praticamente uma seleção permanente e essa campanha é fruto de muita dedicação", elogiou.

A líbero Arlene foi direta ao avaliar o desastroso resultado. "Perdemos, mais uma vez, nos detalhes. Cometemos erros bobos em momentos cruciais", disse. A meio-de-rede Fabiana tentou manter o astral elevado. "Sabemos que nada está perdido. Temos de fazer uma boa partida contra a Itália e vamos conseguir", afirma, otimista.

Na TV: Brasil x Itália, às 8h30, no Sportv.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]