Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
O meia Wanderson (dir.) teve o posicionamento corrigido pelo treinador | Antonio More/ Gazeta do Povo
O meia Wanderson (dir.) teve o posicionamento corrigido pelo treinador| Foto: Antonio More/ Gazeta do Povo

Contra o Bahia, sexta-feira, na Vila Capanema, o técnico do Pa­­raná, Roberto Cavalo, promete um time mais ofensivo do que no empate por 0 a 0 no clássico com o Coritiba. Se vencer, o Tricolor alcança 46 pontos e, pelos cálculos do treinador, a equipe já eliminaria o risco de rebaixamento à Série C.

Ontem, no treino coletivo contra a equipe sub-20 do Tricolor, o treinador exigiu uma saída de bola mais rápida da equipe, principalmente pelas alas. Durante todo o treino, Cavalo também corrigiu o posicionamento do meia Wanderson, homem de cria­ção no meio de campo, que não foi tão bem no clássico do último sábado.

"Vamos transferir um pouco o foco da marcação para podermos agredir o Bahia, que tem um time leve e que joga fácil", avalia o treinador.

No coletivo contra a equipe da base, o técnico também aproveitou para avaliar mais um jogador que pode ser aproveitado, a exemplo do ala esquerda Henri­­que e do atacante Kelvin, que serão titulares na partida contra o Bahia. Trata-se do volante Lyon, de 19 anos, que é filho do ídolo paranista Adoílson.

Além de Lyon, Cavalo afirma que avaliará outros jogadores da base, bem como os do próprio elenco que deverão ficar no time para 2011. "Te­­nho conversado sobre isso com a diretoria [avaliação da base e do profissional para a formação do grupo do ano que vem], mas no momento prefiro não comentar nada, até porque não estámos 100% livres do risco da Série C", enfatiza o comandante tricolor.

Reunião tensa

Antes do treino coletivo com a equipe sub-20 de ontem à tarde, o elenco profissional teve que esperar a conclusão de uma reunião dos funcionários que trabalham no Estádio Du­­rival Britto e Silva com mem­­bros da diretoria. En­­quanto a reunião se desenrolava, os jogadores ficaram esperando do lado de fora do vestiário, sem acesso às roupas de treino.

Os funcionários reivindicavam o pagamento de parte dos salários que ainda não foram quitados. No próximo dia 5, o atraso salarial dos funcionários chega a dois meses. Os atletas tiveram parte de seus vencimentos atrasados quitados pela diretoria nos últimos dias.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]