i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Carneiro Neto

Triunfo da técnica

  • Porcarneiro@gazetadopovo.com.br
  • 11/07/2010 21:10

Paul, o nostradâmico polvo, acertou todos os palpites da Copa e não falhou ao apontar os espanhóis como futuros campeões.

Oráculos à parte, a bandeira da Espanha está – hasteada no mastro do futebol mundial. E com méritos, apesar de o time insistir em trabalhar a bola e pecar nas finalizações. Os méritos residem na proposta do técnico Vicente del Bosque de manter a equipe em elevado padrão técnico, valorizando a posse de bola e procurando o gol.

A Holanda, ao contrário, foi uma equipe muito agressiva, tanto que quase todos os seus jogadores receberam cartões e que só jogou nos contra-ataques. Aí entrou em cena o excelente goleiro Casillas com intervenções portentosas.

O árbitro inglês deu muita conversa aos jogadores e, se em vez de mostrar uma coleção de cartões amarelos tivesse expulsado alguém da Holanda logo na primeira entrada desleal, talvez tivesse salvado a qualidade técnica da final.

O gol do título surgiu quase no encerramento da prorrogação e através de Iniesta que, ao lado de Xavi, formou a dupla cerebral do novo campeão do mundo. Foi o triunfo da técnica refinada sobre o aguerrimento.

Frustração

Para o torcedor brasileiro ficou uma pontinha de frustração ao ver, novamente, a seleção fracassar por equívocos do comando-técnico e falhas individuais de jogadores considerados importantes.

O Brasil fracassou na final com a França, em 1998, na indecisão de Zagallo entre escalar Ronaldo, que havia passado mal na concentração, e o substituto Edmundo que estava pronto para entrar em campo; voltou a cair diante da França, em 2006, na arrumada de meia do lateral Roberto Carlos com o time demonstrando falta de estrutura emocional e garra para reagir, pelo menos em busca do empate.

Lamentavelmente, assistimos à repetição agora, na Áfri­­ca do Sul, com o desmoronamento de todos, após a falha clamorosa do goleiro Júlio César no lance que originou gol de empate da Holanda.

Faltou, novamente, equilíbrio para correr atrás de melhor resultado.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.