Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Weverton com a torcida do Flamengo ao fundo no Maracanã: vacilo atleticano. | Jonathan Campos / Gazeta do Povo – enviado especial
Weverton com a torcida do Flamengo ao fundo no Maracanã: vacilo atleticano.| Foto: Jonathan Campos / Gazeta do Povo – enviado especial

Aqueles primeiros 16 minutos foram fatais. Desencontrado, o Atlético permitiu espaço para o Flamengo criar e o talento dos atacantes cariocas fez a diferença, abrindo dois gols de vantagem e atordoando os atleticanos. Talvez até pela maneira como ocorreu o primeiro gol, na dividida de Guerrero com Weverton, com tempo ainda de o peruano correr até a pequena área e definir a jogada – mesmo com a presença de dois zagueiros na linha do gol.

Aí Diego, com liberdade de ação, fez um golaço e o Atlético murchou de vez. Para despertar somente no segundo tempo, quando veio o gol de Nikão, ceifando o ânimo dos flamenguistas, que passaram, dali em diante a se preocupar com o resultado.

Atlético faz péssimo primeiro tempo e perde para o Flamengo no Maracanã

Leia a matéria completa

Só que o Atlético também não soube se aproveitar do possível momento de hesitação dos anfitriões. Não tinha força de ataque, como não vem tendo na temporada. Mostrou boa presença na marcação – com Matheus Rossetto passando da bola –, arriscou na armação, mas dali em diante parou.

O jogo terminou equilibrado, dando bons motivos à torcida atleticana acreditar na classificação. Mesmo porque San Lorenzo e Universidad Católica empataram e não se soltaram na tabela.

O jogo da volta, entre os dois, na Baixada, deve decidir o futuro dos comandados de Paulo Autuori nessa fase da Copa Libertadores da América.

Na busca do gol

Cobra o técnico do Paraná Clube a ausência de gols de seu ataque. Nos últimos confrontos decisivos os gols faltaram e custaram a eliminação no Campeonato Estadual e uma sofrida decisão por pênaltis na fase anterior da Copa do Brasil.

Paraná tenta desbancar o Vitória, ‘bicho-papão’ da elite em 2017

Leia a matéria completa

Hoje [quinta-feira, 13], contra o Vitória, em Salvador, fazer gol pode ser fundamental para iniciar a passagem à próxima etapa. Porque o 0 a 0, por exemplo, é um empate interessante ao time da casa, que pode jogar fora por qualquer empate que não sai – ou vai pros penais ou se classifica diretamente.

Um golzinho que seja oferece uma possibilidade maior de passar adiante. Com empate, daria o direito do 0 a 0 na partida de volta. Mesmo com derrota, o gol marcado fora poderia fazer a diferença nas contas.

O Vitória é um adversário perigoso. Favorito, até, no embate dessa noite, por jogar em casa, onde tem aproveitamento exemplar na temporada (no Campeonato Baiano, é 100% dentro ou fora, mais boa campanha na Copa do Nordeste). Importante, então, aos paranistas, será tentar manter o adversário sob controle, pois aí, na volta, o favoritismo será invertido e valerá o momento de saber se aproveitar da situação.

Se a eliminação para o Atlético não pesar na cabeça dos jogadores, são boas as chances de voltar da Bahia com bom resultado.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]