Para muitos, a primeira fase da Copa é apenas aquecimento. Nem sempre foi tão fácil para o Brasil. A Gazeta do Povo relembra cinco pedreiras que a seleção encarou na primeira fase da Copa:

5 - Suécia 1994

O Brasil estava classificado para a segunda fase e encarou a Suécia, que precisava de um ponto para ir adiante. Mas eles quase amealharam os três com cabeçada certeira de Kenneth Anderson. Precisou Romário tirar um coelho da cartola no segundo tempo para garantir a invencibilidade.

4 - Espanha 1934

A primeira fase era eliminatória e o Brasil pegou a Espanha do mítico goleiro Zamora. Os dois primeiros gols de Chato acabaram com a festa. Langara aumentou para os espanhóis ainda na primeira etapa. Leônidas conseguiu diminuir para a seleção brasileira no segundo tempo. Final: 3 a 1 e passagem de volta.

3 - Hungria 1966

O Brasil era atual bicampeão e vinha de vitória contra a Bulgária. Passeio sobre húngaros em Liverpool? Nada disso! Bene botou os magiares na frente no segundo minuto. Tostão empatou. Mas Farkas e Meszoly deram a vitória para a Hungria e deixaram o Brasil dependendo de vitória contra Portugal para se classificar.

2 - Inglaterra 1958

Um 0 a 0 provocou talvez o maior acontecimento do futebol. Depois do jogo, bancado por Didi, Nílton Santos e Bellini, o técnico Vicente Feola escalou Garrincha e Pelé. As seleções voltariam a se encontrar cedo em 70, com vitória brasileira por 1 a 0, gol de Jairzinho, e a defesa de Banks no cabeceio de Pelé – considerada a maior da história .

1 - Portugal 1966

O Brasil precisava da vitória e Pelé foi para o sacrifício. Durou pouco e o Rei saiu machucado. Simões e Eusébio abriram vantagem para os lusitanos. Com um gol na metade final do segundo tempo, Rildo, deu esperança para o Brasil. Esperança devidamente sepultada por Eusébio, eliminando os então atuais campeões.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]