i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Decisão

Iniesta, o herói

Destaque espanhol na Copa se consagra na decisão com gol do título, prêmio de melhor em campo da Fifa e bonita homenagem a colega que morreu

  • PorCarlos Eduardo Vicelli e Marcio Reinecken, enviados especiais
  • 11/07/2010 21:04
Com gol no 2º tempo da prorrogação, o meia espanhol garantiu o título inédito à Espanha. | Valterci Santos/ Gazeta do Povo – enviado especial
Com gol no 2º tempo da prorrogação, o meia espanhol garantiu o título inédito à Espanha.| Foto: Valterci Santos/ Gazeta do Povo – enviado especial

O herói do título espanhol não foi David Villa, o artilheiro da equipe. Tão pouco foi o cérebro da Fúria no Mundial, Xavi. Até poderia ter sido o capitão da seleção, o goleiro Casillas. Quatro minutos antes da decisão da Copa do Mundo da África ir para as penalidades, contudo, Iniesta recebeu um passe de Fábregas e chutou cruzado, sem chances para o goleiro Stekelenburg.

Até ali, era o número 6 a melhor saída do time de Vicente del Bosque. Com velocidade e movimentação incansável, Iniesta surpreendia a defesa holandesa. Mas em todas as chances que o meia do Barcelona tinha, preferia o toque ao chute a gol. No lance que deu o título mundial à Espanha, não havia outra alternativa.

"Ainda não consigo acreditar que fiz esse gol tão significativo. É incrível. Foi um jogo muito difícil. Houve de tudo. Mas no final merecemos este título. É algo para recordar e desfrutar. Todos devem estar orgulhosos".

No gol mais importante de sua carreira, no entanto, o jogador aproveitou para homenagear o ex-colega Daniel Jarque, que atuava no Espanyol e faleceu em agosto do ano passado, após sofrer um ataque cardíaco. Na camisa, os dizeres: "Dani Jarque, sempre conosco". Os dois foram adversários nas categorias de base e atuaram juntos nas seleções amadoras da Fúria.

"Ainda não havia podido prestar essa homenagem. E creio que essa foi a oportunidade apropriada", disse o jogador, considerado também o melhor em campo pela Fifa. "Creio que, de alguma forma, ele estava dando forças para nós."

Jarque foi encontrado morto no hotel onde o Espanyol fazia a pré-temporada, na Itália. E o fato mexeu com a seleção espanhola, que se apresentou dois dias depois para um amistoso contra a Macedônia. Naquele jogo, todos os jogadores da seleção vestiram a camisa 21 – de Jarque em seu time –, com o nome do colega. Depois disso, Inesta ainda escreveu uma carta que foi publicada no site do Barcelona, onde dizia se arrepender de deixar de ligar e encontrar mais o amigo.

Mas Jarque não foi o único a receber homenagem póstuma. Ao fim da partida, Sérgio Ramos mostrou uma camisa com os mesmos dizeres utilizados pelo seis da Fúria, mas se referia a Antonio Puerta. O ex-jogador do Sevilha morreu em agosto de 2007 depois de desmaiar em um jogo da liga espanhola, contra o Getafe.

Mas a tristeza da lembrança das perdas logo cedeu espaço à alegria da vitória. E a alegria do próprio futebol espanhol que provou ser possível vencer jogando para frente, atacando antes de defender. Mesmo perdendo a primeira partida da Copa, para a Suíça, o técnico espanhol, Vicen­­te Del Bosque não mudou a ma­­neira de seu time jogar.

"Esta final prestigiou o futebol ofensivo. É um título que tomou forma em Junho de 2008 (com o título da Euro) e com a continuidade de pessoas que trabalharam nessa seleção. Foi uma boa herança que conservamos. Não apagamos o trabalho do passado, seguimos o rumo", afirmou Del Bosque. Que admitiu ter ficado sem palavras para falar aos seus comandados. "É difícil falar alguma coisa no vestiário, estão todos contentíssimos. A Espanha merece esta conquista, esta Copa do Mundo."

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.