Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Uma família de Curitiba ganhou na Justiça, nesta segunda-feira (9), o direito de ser indenizada em R$ 2 mil por dia caso a Fifa não emita a segunda via de nove ingressos para Copa do Mundo em Curitiba. Os bilhetes são para as partidas Irã x Nigéria, Rússia x Argélia e Honduras x Equador e foram furtados. A Justiça considerou ilegal a recusa da Fifa em emitir novamente os ingressos. A decisão ocorreu em tutela antecipada, um artifício do direito brasileiro que visa adiantar uma decisão para que a justiça seja concedida de forma mais ágil, em uma tentativa de evitar o prejuízo imediato das vítimas.

Segundo o advogado da família, José Cláudio Del Claro, os torcedores lesados são estrangeiros, mas moram em Curitiba. "Meu cliente iria levar a esposa e o filho nos jogos", conta o Del Claro. Ele conta que os ingressos foram deixados no condomínio onde a família mora, no Centro da cidade, mas foram furtados.

Del Claro conta que os torcedores foram até o posto avançado da Fifa no shopping Pátio Batel para pedir a emissão da segunda via, sem sucesso. "Eles se prontificaram apenas a cancelar os ingressos", afirmou o advogado.

A Gazeta do Povo teve acesso à decisão do 11.º Juizado Especial Cível de Curitiba, da juíza substituta Manuela S. Pereira Rattmann. "Ocorre que se, de modo que não tratam ingressos nominais ao adquirente e seus convidados se vislumbra que os furtados possam vir a ser validamente utilizados por terceiros, dispondo a promovida de mecanismos tecnológicos e de segurança para impedir que isto ocorra, sem prejuízo ao direito do autor de assistir às partidas de futebol que previamente adquiriu", pondera a magistrada na decisão. O texto da juíza ainda explica que a emissão de novos ingressos em substituição aos furtados não vai gerar qualquer prejuízo à Fifa ou ao evento.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]