Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Tony Kroos, com dois gols, foi um dos jogadores que mais deram prejuízo ao comércio alemão na goleada sobre o Brasil | REUTERS / Leonhard Foeger
Tony Kroos, com dois gols, foi um dos jogadores que mais deram prejuízo ao comércio alemão na goleada sobre o Brasil| Foto: REUTERS / Leonhard Foeger

Durante a Copa, um sex shop em Berlim criou um desconto de 10% no preço do vibrador a cada gol da seleção alemã. Um bar teve a mesma ideia, mas com a bebida, é claro: a cada gol, uma rodada de drinques. Mas ninguém esperava o massacre de 7 a 1 em cima do Brasil. Apesar do susto, as ofertas estão mantidas para a final deste domingo (13) contra a Argentina.

O bar Schraders teve de se virar para servir os 200 torcedores presentes, alguns deles brasileiros, na terça-feira (8). De graça, foram mais de mil "shots", pequenos drinques de maracujá e caju, por causa dos sete gols. "Não estávamos preparados e tivemos que correr para montar as bebidas porque os gols saíam rapidamente", conta Olaf Thermann, dono do bar.

Mesmo com o "prejuízo", não há risco de encerrar a promoção. "Quero que a Alemanha conquiste a Copa, mas não de 8 a 0, algo assim. Um já é o suficiente", diz o alemão.O sex shop Fun Factory também decidiu manter a promoção de 10% por gol alemão para vender um pequeno vibrador de 49 euros (R$ 148) no dia seguinte a cada partida da Copa.

A "sorte" da loja é que desde o começo da Copa havia estabelecido o limite de cinco gols, ou 50% de desconto, chegando ao máximo de 24,50 euros (R$ 74). "Espero vender muitos vibradores na segunda-feira, mas não precisa ser de goleada senão a loja fecha", torce a vendedora chamada Martina.

Festa

Além das "promoções", a cidade de Berlim está pronta para celebrar o tetracampeonato com telões a céu aberto, bares e muita cerveja. A concentração maior deve ser na Fan Fest, espaço oficial montado por patrocinadores da Fifa, entre o Portão de Brandemburgo, símbolo da divisão entre alemães ocidentais e orientais até 1989, e o Obelisco da Vitória.

Pelo menos sete telões estarão à disposição. Na semifinal contra o Brasil, 20 mil pessoas compareceram e espera-se mais que o dobro para a final.O mesmo local, aliás, será o palco de recepção aos jogadores em caso de conquista. A ideia é que o elenco desembarque terça-feira (15) em Berlim e seja recepcionado pela chanceler Angela Merkel. Segundo a Associação de Futebol da Alemanha, a comemoração vai ocorrer somente em caso de título.

A expectativa é que a final da Copa atinja um novo recorde de telespectadores, depois do histórico patamar de 32,6 milhões de pessoas que assistiram à semifinal. Foi o programa (no caso, o jogo) mais visto na história da TV local. O recorde anterior também era do futebol, a semifinal da Copa de 2010, quando a Alemanha perdeu da Espanha, na África do Sul.

Veja também
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]