Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Embarque da seleção da Costa Rica. Na foto, o jogador Cubero é saudado por torcedores que foram ao aeroporto Juan Santamaría se despedir do time | EFE/Jeffrey Arguedas
Embarque da seleção da Costa Rica. Na foto, o jogador Cubero é saudado por torcedores que foram ao aeroporto Juan Santamaría se despedir do time| Foto: EFE/Jeffrey Arguedas

A seleção da Costa Rica viajou nesta segunda-feira (9) para o Brasil com o objetivo de ser a surpresa do Mundial e se classificar para a segunda rodada, mesmo fazendo parte do chamado "grupo da morte", ao lado de Inglaterra, Uruguai e Itália.

Os 23 jogadores, o técnico Jorge Luis Pinto, e o resto do corpo técnico, que não deram declarações no aeroporto, se despediram de um grupo de parentes e torcedores vestidos com as camisetas vermelhas da equipe costarriquenha.

A equipe realizou seu último treino na Costa Rica no domingo (8) e nesta segunda-feira tomou o voo rumo ao local de concentração no Brasil, a cidade de Santos, onde se prevê que os jogadores cheguem por volta das 23h30 local.

A seleção costarriquenha participará de seu quarto Mundial e espera ser a surpresa perante os três campeões do mundo que deverá enfrentar no Grupo D.

"Estamos certos de que os rivais são difíceis, mas confiamos em nossa capacidade, sabemos que podemos vencer e vamos com essa convicção. Hoje em dia é possível fazer uma boa partida e podemos ser uma surpresa para muitos", expressou o assistente técnico Luis Marín, em declarações divulgadas na página da Federação Costarriquenha de Futebol.

O atacante do Kuban Krasnodar, Marco Ureña, também mostrou seu positivismo e afirmou que a equipe tem a meta clara de ter um papel histórico.

"Conhecemos nossas capacidades e isso nos motiva para saber que podemos fazer história desde o começo da Copa", expressou.

A Costa Rica terá que substituir, por lesão, o lateral esquerdo do Everton, Bryan Oviedo, e o atacante do Real Salt Lake, Álvaro Saborío, um dos jogadores mais experientes do país.

Os costarriquenhos colocam suas esperanças no goleiro do Levante, Keylor Navas, que teve um extraordinário desempenho nesta temporada e foi eleito um dos melhores goleiros do Campeonato Espanhol.

No ataque, a Costa Rica apostará nos talentosos Joel Campbell, do Arsenal, e Bryan Ruiz, do Fulham.

Campbell jogou a temporada passada emprestado para o Olympiacos e foi uma das principais figuras de sua equipe na Liga dos Campeões.

Por sua vez, Bryan Ruiz atuou no primeiro semestre do ano como emprestado no PSV.

Na Costa Rica há jogadores que atuaram no Mundial da Itália 90, Coreia do Sul-Japão 2002 e Alemanha 2006, mas só no primeiro deles conseguiu avançar para a segunda rodada, quando foi eliminada pela Tchecoslováquia.

O objetivo da equipe é pelo menos igualar o feito de 1990.

Os jogadores estrearão no próximo sábado (14) perante Uruguai. No dia 20 de junho, a Costa Rica enfrenta a Itália e no dia 24 a Inglaterra.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]